O que tem o Vodafone Paredes de Coura de diferente? (com vídeo)

Por a 17 de Agosto de 2015

Joao Carvalho“Já mandei patrocinadores embora”. A história é recordada pelo director do festival de Paredes de Coura, João Carvalho, em entrevista publicada na última edição do M&P. O responsável não hesita em traçar as diferenças entre a presença das marcas no seu festival e nos da concorrência. “Já fui a festivais em que vi pessoas a zangarem-se por causa de uma t-shirt – ainda por cima de má qualidade. Já vi pessoas chateadas porque uma apanhou uma fitinha para pôr as chaves e outra não. Já mandei patrocinadores embora, não vou dizer a marca porque é deselegante, porque apareceram no festival há uns sete ou oito anos, com música latino-americana e umas bailarinas para comunicar uma marca. O que tem isso a ver com Paredes de Coura? Nada. O dinheiro não compra tudo”, considera. Já sobre o actual patrocinador, a Vodafone, o director do festival garante que “temos uma relação perfeita. Eu entendi como funciona a Vodafone e a Vodafone entende como nós funcionamos. O ano mais complicado foi o primeiro, que foi o da aprendizagem, em que tivemos de explicar que tipo de comunicação queríamos em Paredes de Coura. Rapidamente eles perceberam o conceito do festival e hoje até são eles, por vezes, a chamar a atenção para determinados pormenores”.
João Carvalho explica na mesma entrevista porque não permite que o Paredes de Coura tenha transmissão televisiva: “A atitude dos apresentadores é de humor fácil e desnecessário… Estava a ver um festival da concorrência em directo na televisão e a pensar: ‘Meu Deus, eu nunca hei-de querer isto no meu festival’. É fútil e muito adolescente a forma como são feitas as transmissões dos festivais”.
O festival decorre entre 19 e 22 de Agosto. TV On The Radio, Tame Impala, The War On Drugs e Lykke Li são os cabeças de cartaz. João Carvalho é, a par de José Barreiro e Filipe Lopes, sócio da empresa Ritmos, responsável pelo festival de Paredes de Coura, que já soma 22 edições. O grupo juntou-se ao festival espanhol Primavera Sound e a José Eduardo Martins para fundar a Pic-Nic, empresa que organiza o NOS Primavera Sound, no Porto.

Deixe aqui o seu comentário