Júlio Magalhães: “Estavam coisas combinadas que não foram cumpridas na TVI”

Por a 2 de Janeiro de 2012

Júlio Magalhães despediu-se ontem da TVI, casa que o acolheu ao longo de 12 anos, para assumir funções enquanto director-geral do Porto Canal. “Gosto de começar novos ciclos”, disse ao M&P o jornalista, admitindo, no entanto, “algum desconforto com a administração de Queluz”. “Estavam coisas combinadas com a direcção de informação que não formam cumpridas”, assinalou, referindo-se, nomeadamente “a um cargo” que lhe fora “prometido”.

Porém, Júlio Magalhães assegurou que não guarda “rancores a ninguém” e que o motivo com o qual se prendeu a sua decisão assentou, sobretudo, no facto de “andar a fazer corridas entre o Porto e Lisboa há tantos anos”. “Vivo no Porto. Se não tivesse alternativa manter-me-ia na TVI, agora tendo, na minha cidade e ligada a um clube de que gosto, não poderia ser mais aliciante”, apontou o profissional.

Questionado se o factor financeiro também pesou na aceitação do novo cargo, Júlio Magalhães frisou: “Já era muito bem pago na TVI e não há uma diferença abissal no que irei ganhar agora”. Por outro lado comentou que na estação de Queluz “não está previsto apostarem no Porto. Lisboa nunca gostou de investir no Porto e a crise que se instalou é mais uma desculpa”.

Júlio Magalhães afiançou ainda não ter ideias para implementar no Porto Canal. “Começo a trabalhar na segunda semana de Janeiro, até lá estarei a descansar”. “Trata-se de um projecto que, para ser sustentado, tem que evoluir lentamente”, salientou apenas.

Recorde-se que José Alberto Carvalho e Judite de Sousa transitaram da RTP para assumir o governo da informação da TVI, substituindo Júlio Magalhães, que por sua vez herdara o testemunho de João Maia Abreu. Já o Porto Canal foi adquirido no passado Verão pelo Futebol Clube do Porto.

 

Deixe aqui o seu comentário