“Não será a mera integração mas um movimento mais ambicioso”

Por a 23 de Setembro de 2011

A afirmação é de Djáli Campos, que explica em entrevista ao M&P o negócio de aquisição da agência de social media Blue Pepper por parte da GCI, que lança agora uma unidade digital. “A Blue Digital resulta da integração da Blue Pepper na GCI e aliará não só toda a nossa experiência e background como consultora de social media, mas também o próprio know how e expertises internas de digital da GCI”, esclarece Djáli Campos, responsável por esta nova unidade da GCI e desde 2009 CEO da até aqui Blue Pepper.

Meios & Publicidade (M&P): A Blue Pepper acaba de integrar a GCI. Como se vai consubstanciar este negócio e de que forma é que se vai dar a integração na agência?

Djáli Campos (DC): Na verdade, esta integração surgiu há sete meses, não só do ponto de estratégico mas também físico, com a partilha de instalações. A Blue Pepper passará a fazer parte da Blue Digital, o braço digital da GCI, unidade de negócio que será liderada por mim. A marca Blue Pepper, como consequência deste movimento, desaparece.

M&P: O que motivou este movimento?

DC: Duas vontades, a da GCI em reforçar a aposta no digital, e a nossa em fazer parte de uma fantástica rede de comunicação e public engagement, em Portugal, Angola e vários outros pontos do globo. Houve um interesse mútuo nesta aproximação, porque acreditamos que a social media tem uma forte componente de public relations e public engagement. Só nos irá beneficiar fazer parte de uma network de comunicação e public engagement, presente no mercado português e angolano.

M&P: Há sete meses que estão a trabalhar com a GCI. O que vai mudar no posicionamento da agência agora que se oficializou a empresa como braço digital da GCI?

DC: A Blue Pepper passa a integrar a network GCI numa unidade de negócio chamada Blue Digital. A Blue Digital resulta da integração da Bluee Pepper na GCI e aliará não só toda a nossa experiência e background como consultora de social media, mas também o próprio know how e expertises internas de digital da GCI. Ou seja, não será a mera integração da Blue Pepper na GCI, mas um movimento mais ambicioso. Para além da consultoria em social media, apostamos no webdesign, aplicações digital-based (iPad e mobile), desenvolvimento de formatos de media digital, SEM (Search Engine Marketing) e SEO (Search Engine Optimization) e consultoria em estratégia digital. Para assegurar todas as áreas, reforçámos a equipa que já tínhamos na Blue Pepper.

M&P: Contam com uma equipa autónoma ou o trabalho é desenvolvido em sinergia com o resto da agência?

DC: A equipa da Blue Digital, constituída, para já, por 10 profissionais, é altamente especializada e continuará autónoma. Mas iremos, claro, envolvermo-nos nas estratégias de public relations e public engagement que serão desenvolvidas pela GCI, potenciando a proposta digital. Aliás, já o fazemos.

M&P: Pode adiantar-me os valores envolvidos neste negócio de aquisição da Blue Pepper por parte da GCI?

DC: Preferimos não comentar valores.

M&P: Quais são os objectivos da GCI para a Blue Digital?

DC: Transpor para a área digital a aposta da GCI na inovação em public relations. Estar permanentemente a fazer evoluir estratégias e metodologias de trabalho, com curiosidade, criatividade e competência. Desenvolver estratégias de public engagement para a área digital. O investimento na Blue Digital irá elevar a oferta digital da GCI, permitindo a disponibilização, aos actuais e futuros clientes, de uma equipa talentosa e especializada em conteúdos digitais. Finalmente, a expansão da área digital da GCI irá reforçar a aposta na inovação, possibilitando a exploração de oportunidades para gerar novas receitas.

M&P: Referem que “a Blue Digital trabalhará de perto com a Edelman Digital, braço da Edelman para o digital”. Na prática, o que é que isto significa no dia-a-dia da Blue Digital?

DC: Como afiliada da rede internacional Edelman, a GCI tem à sua disposição uma grande quantidade de ferramentas e metodologias de trabalho desenvolvidas pela Edelman Digital. Não é possível prever o que significará, no dia-a-dia, esta ligação muito próxima à Edelman Digital, mas ela inclui troca de experiências e propostas, ferramentas e boas práticas digitais. Um bom exemplo é o Friday Five, produzido semanalmente pela equipa da Edelman Digital.

M&P: Quais são as expectativas ao nível do volume de negócios para o primeiro ano de actividade da Blue Digital enquanto unidade digital da GCI? A nível percentual, o que esperam que esta unidade venha a representar no volume de negócios da GCI?

DC: Preferimos não comentar números, mas posso adiantar que temos clientes em áreas como a energia, indústria automóvel, agro-alimentar, cosmética, personal care. A maioria destes clientes são multinacionais, sendo que a Blue Digital trabalha já para o mercado português e angolano. Continuaremos a trabalhar clientes da ex-Blue Pepper e passaremos a fazê-lo, sempre que faça sentido, com os clientes da GCI.

Deixe aqui o seu comentário