Ordem dos Designers pode nascer em 2012

Por a 8 de Novembro de 2010

A Associação Portuguesa de Designers (APD) e a Associação Nacional de Designers (AND) pretendem que a Ordem dos Designers esteja a funcionar em 2012. A concretizar-se, Portugal será o primeiro país do mundo a ter uma Ordem dos Designers. “O objectivo principal de criação de uma Ordem dos Designers prende-se, essencialmente, com a necessidade de regularmos a profissão que vem sendo exercida sem qualquer orientação”, explica ao M&P Elisabete Antunes, presidente da AND, associação que, avança a responsável, conta com cerca de 300 sócios. Apesar de os critérios ainda não estarem definidos, à partida uma das condições para que os designers sejam admitidos na Ordem será terem formação superior na área. No entanto, e dado o perfil dos designers nacionais, “não podemos de forma alguma fazer tábua rasa dos profissionais que ao longo dos tempos contribuíram para o crescimento da disciplina. Desta forma, os casos que não contemplam o primeiro critério deverão ser objecto de uma apreciação individual efectuado por um organismo, que ainda não se encontra definido”, acrescenta a mesma responsável.

Nuno Sá Leal, que dirige a Associação Portuguesa de Designers, fundada em 1976 e que tem cerca de 120 sócios com as quotas em dia, relembra que este é um trabalho que está a ser feito junto do Ministério da Economia e da Assembleia da República desde há cinco anos. “A Ordem tem o apoio de todos os partidos parlamentares, sem excepção”, avança. “esta será a forma de separar o trigo do joio. Quando uma empresa quer contratar um designer aparece-lhe de tudo, desde pessoas com o 12º ano, jornalistas ou indivíduos que têm jeito para fazer uns traços. O design é uma profissão altamente técnica e transversal às áreas de saber”, considera Nuno Sá Leal.

Este tema é desenvolvido na edição desta semana do Meios & Publicidade

Deixe aqui o seu comentário