Leo chega ao 11º leão e Fischer ganha prata com Honda

Por a 25 de Junho de 2009

store1a.jpgA competição de design do festival de Cannes entregou ontem à Leo Burnett mais dois leões: um de prata para a loja da Cruz Vermelha e outro de bronze pelo filme da Amnistia Internacional. Estes prémios juntam-se aos nove que ao longo da semana a agência conseguiu ganhar com Museu Efémero e Loja da Cruz Vermelha nas competições de promoções, marketing directo, relações públicas e media.O projecto da loja para a Cruz Vermelha já vai em sete leões: ouro (eventos e field marketing), prata (lançamento em retalho) e bronze (campanha integrada) em promoções, um PR Lion em relações públicas (caridade), dois de prata em marketing directo (caridade e lançamento), e um de prata em design (outros). Já o Museu Efémero para o rum Pampero somou três: um de bronze em promoções (media alternativa), um PR Lion em relações públicas (produtos de grande consumo) e um de prata em media (produtos de grande consumo). O filme Todos Contra Todos, que ficou com bronze, em broadcast design, explica porque é necessária a união em prol dos Direitos Humanos e tem como objectivo angariar voluntários para a Amnistia. A produção esteve a cargo da brasileira Lobo.

Honda dá prata à Fischer

diogo-mello.jpgA campanha de imprensa da Fischer para a Honda Jazz, para promover uma edição especial com sensores de estacionamento destacou-se ontem em imprensa, recebendo um leão de prata. “Tentámos ilustrar que não são os olhos, mas os ouvidos, que ajudam a estacionar. Colocámos ícones que mostravam isso de uma forma divertida”, conta Diogo Mello, director criativo da Fischer A campanha é constituída por três peças: Cantora de Ópera, Gaiteiros e Padre.

Em jeito de balanço, Diogo Mello refere que este leão “tem um peso imenso num cenário normal. No nosso caso, numa agência com pouco mais de dois anos de existência tem ainda mais. Em tão pouco tempo conseguimos desenvolver trabalhos para clientes tão relevantes como a Honda, a TMN, a Uzo, a Sagres e o Diário Económico”. O director criativo considera que o “leão vem premiar um trabalho de qualidade bastante boa que temos vindo a fazer, mas vem também estabelecer um padrão. Esperamos que sirva como ground zero e que a partir de agora seja este o tipo de trabalho que se espera da Fischer Portugal”. A peça vencedora tem ainda assinatura de Rafael Pitanguy e de Marco Martins.

O M&P desloca-se a Cannes com o apoio da YoungNetwork. Acompanhe o festival em Do Fundo da Comunicação

Deixe aqui o seu comentário