Cannes: O futuro da produção, segundo Spike Lee

Por a 26 de Junho de 2009

spikelee.jpg“Vai chegar o tempo em que se vai fazer filmes só com o telemóvel”, vaticinou ontem Spike Lee, que está em Cannes para apresentar os resultados do concurso MOFilm, que desafiou consumidores de todo o mundo a criarem filmes para 12 marcas. Num encontro com a imprensa, o realizador norte-americano referiu que as novas plataformas estão a permitir que os jovens “mostrem o seu talento”. Os resultados do próprio MOFilm indicam que “não é preciso ser empregado de uma empresa de publicidade para fazer publicidade”. Lee destacou ainda que a democratização da tecnologia permite disseminar as possibilidades de criação. “A minha geração precisava de um curso para ter acesso ao equipamento.” Apesar desta mudança, Sipke Lee considerou que “as escolas de cinema não estão obsoletas, mas já não é mandatório ir para lá” para ser realizador. Além disso, não passou ao lado da crise que está a afectar a área da produção publicitária referindo que “temos de conseguir tornar o negativo em positivo”. Deu até o seu próprio exemplo, que apresentou como optimista, o de “um realizador caro”, que poderá nesta fase ser substituído “jovem talento cheio de vontade de trabalhar”.
Spike Lee explicará hoje aos delegados do festival de Cannes, no auditório Debussy o projecto MOFilm, que contou com o apoio de marcas como Visa, Nokia, e HP. O trabalho vencedor é de um “consumidor” japonês que criou um filme para a Nokia. A primeira edição do MOFilm ultrapassou as 300 inscrições. Em breve deverá arrancar a segunda edição.

O M&P desloca-se a Cannes com o apoio da YoungNetwork. Acompanhe o festival em Do Fundo da Comunicação

Deixe aqui o seu comentário