Jovens Criativos à espera dos resultados

Por a 16 de Junho de 2008

ycportugal.jpgPoucos minutos faltavam para as 20h de ontem quando a dupla portuguesa, mesmo em cima da hora limite, entregou a proposta para responder ao briefing de imprensa dos Jovens Criativos. O briefing foi passado no sábado às 17h e tinha como cliente a Amnistia Internacional. O desafio consistia em criar uma peça associada aos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que será veiculada em todo o mundo. As duplas puderam, entre as oito da manhã e as 20h de ontem, desenvolver as suas propostas no Palais de Cannes. Pelo meio, apenas três horas de sono.
À saída, Sofia Moutinho, redactora da Y&R que fez dupla com o director de arte da Leo Burnett, Jean Zamprogno neste desafio explicou ao M&P que “a nossa proposta consiste num grito. É fácil uma pessoa ser ignorada. No entanto, uma multidão não pode ser calada”. Em termos visuais a resposta dos criativos que representam Portugal assenta no conceito de “volume, onde cada barra significa uma evolução do activismo, desde a Declaração dos Direitos Humanos”, explica Jean Zamprogno. “Pegámos em imagens do activismo, como o movimento negro, o Maio de 68 ou a questão do Tibete. A barra vai acrescendo para mostrar que a multidão quando grita por todo o mundo não pode ser parada”, completa o director de arte.

Hoje, às 9h, o júri de imprensa, que inclui Ricardo Monteiro, CEO da Euro RSCG, vai avaliar os trabalhos dos Jovens Criativos. Os resultados serão conhecidos às 10h.

Deixe aqui o seu comentário