Promoções: Águia do Benfica ficou com um leão de ouro

Por a 17 de Junho de 2008

palaiscannesogilvy.jpg“É uma óptima ideia”. Foi desta forma que o presidente do júri de promoções descreveu o leão de ouro ganho pela Ogilvy pelo projecto Onde Está a Águia para a WWF, baseado no suposto desaparecimento da águia do Benfica. “Há muitas campanhas sobre a ideia de ajudar, mas esta foi uma novidade porque realmente envolveu as pessoas”, detalhou Armin Jochum, director criativo da BBDO de Estugarda e Berlim, que coordenou a avaliação das peças na categoria de promoções.
O projecto tinha chegado a finalista nas competições de marketing directo e promoções, e foi nesta última que acabou por receber ontem à noite um leão de ouro.

De passagem por Cannes, apesar de se ter retirado do mercado publicitário, Edson Athayde, director criativo desta campanha, referiu ao M&P que quando lançou o desafio a todas as duplas da Ogilvy disse-lhes: “Não me venham com filmes ou anúncios. Quero acções fora do formato tradicional, quero ideias que sejam diferentes, que com pouco dinheiro consigamos atingir um objectivo maior de falar de uma causa interessante e tornar a WWF notória”. Para Edson Athayde, este “é um exemplo de como uma agência normal consegue parar e pensar fora da caixa. É pensar em coisas diferentes, mas fazíveis”, completou. (ver vídeo) Esta acção foi desenvolvida pela dupla João Flores e Francisco Serra e Melo. campanha-ogilvy_-onde-esta-a-aguia.jpg Onde Está a Águia consistiu na simulação do desaparecimento da águia do Benfica, de forma a demonstrar que a águia real encontra-se em vias de extinção no território nacional. A acção serviu também para aumentar a notoriedade da WWF em Portugal.

Além da Ogilvy, chegou à shortlist de promoções Christmas Cash Register da DraftFCB para a Grant’s que, no entanto, não passou à lista de vencedores. O grande prémio foi para a BBDO Nova Iorque pelo projecto integrado Voyeur para o canal HBO. Portugal inscreveu 17 trabalhos, numa categoria que contou com 1103 entradas de 54 países.

Na foto: Francisco Serra e Melo, Edson Athayde e João Flores

Deixe aqui o seu comentário