TV Guia reposiciona-se

Por a 8 de Fevereiro de 2008

A edição de hoje da TV Guia surge em banca com um novo posicionamento. “A revista tem um novo modelo e um novo formato. Entramos no modelo das chamadas revistas de sociedade”, avança ao M&P Luísa Jeremias. O título, explica a responsável editorial, deverá focar-se “na gente da televisão, celebridades e famosos, procurando revelar mais sobre eles”, ou seja, uma “intimidade consentida”. Além de aumentar o formato da publicação, aproximando-o do das revistas de sociedade, o título vai incluir igualmente novas secções como Sair com…, onde o jornalista acompanha uma celebridade no dia-a-dia, dando a conhecer a sua realidade. Esquadra de Polícia, “onde são comentados os assuntos de actualidade que fazem a abertura dos telejornais, como o caso Maddie”, é outra das novas secções, contando a revista com a colaboração de Francisco Moita Flores no comentário em formato de crónica deste tipo de temas, adianta Luísa Jeremias. Secções como Flagrante e Lazer mantêm-se. O novo posicionamento envolveu “alguns reajustes gráficos”, sendo os mesmos assegurados pelo director de arte da TV Guia, Luís Paixão. Quando questionada sobre se a mudança seria motivada pelos resultados em banca da publicação, Luísa Jeremias admitiu que os “resultados não são os melhores”. “O que nos levou a concluir que se calhar não estávamos a fazer uma revista que fosse ao encontro dos interesses do leitor. E o que vai ao interesse do leitor? A APCT nesse sentido dá boas indicações, o que tem interesse é aquilo que vende”, sintetiza a responsável que coloca como objectivo desta mudança “fazer com que os leitores se voltem a apaixonar pela TV Guia”, preferindo não especificar valores.A mudança será comunicada nos meios do grupo, sendo que a nova TV Guia será acompanhada por uma acção de marketing editorial com a distribuição do primeiro volume do Atlas da National Geographic. O primeiro volume será gratuito e os restantes 23 terão um preço de capa a rondar os 9 euros.

Segundo os dados da APCT, a TV Guia entre Janeiro e Setembro do ano passado obteve uma média de circulação paga de 74.170 exemplares, menos 4.354 (-5,5%) do que em igual período de 2006.

Deixe aqui o seu comentário