Óbidos: Uma marca inovadora

Por a 11 de Janeiro de 2008

A estratégia por detrás dos eventos que se realizam na vila de ÓbidosDesenganem-se os que pensam que o Óbidos Vila Natal, o Festival Internacional de Chocolate e o Mercado Medieval são eventos desgarrados na programação da vila de Óbidos. Faz tudo parte de uma "estratégia mais larga que assenta na criatividade e na inovação como modelos de desenvolvimento do concelho", explicou ao M&P Telmo Faria, presidente da Câmara Municipal de Óbidos. De maneira a que a marca Óbidos fosse conhecida e reconhecida, "delineámos uma estratégia onde um conjunto de projectos têm lugar". Entre esses projectos está a estratégia de realização de grandes eventos que visam dar um contributo para dar visibilidade à marca Óbidos e atrair portugueses e estrangeiros à vila. Assim, o património é valorizado e "estabelecem-se dinâmicas económicas no território que, por si só, alavancam um processo muito alargado em termos de criatividade e se quisermos até, de indústria cultural", explica Telmo Faria.

Mas a par dos eventos, sublinha o presidente da câmara, há outros projectos como os programas dos resorts de turismo residencial. Juntam-se-lhes o parque tecnológico dedicado às tecnologias de informação, uma incubadora das artes e as habitações criativas como forma de regeneração urbana e de atracção de talentos. "Tudo isto faz parte de uma estratégia de afirmação de economias criativas e culturais que é o modelo de desenvolvimento que em Óbidos está montado", afirma Telmo Faria.

Mas de todos os projectos em curso, os eventos são os mais mediáticos, daí que sirvam como motores de notoriedade da vila e, logo, da marca Óbidos. "São um instrumento, um meio para podermos abrir portas. Seja a porta da atracção de investidores, de talentos, de empreendedores sociais ou empresariais. Abrem-se mais portas quando uma marca é forte", diz o presidente da câmara. O político acrescenta que para a marca ter força precisa de uma componente de mediatização e de notoriedade bastante elevadas. "Isso faz-se com um centro histórico belíssimo, programando para esse centro histórico iniciativas excepcionais, inovadoras e que apresentem experiências novas, novos olhares. Por isso começámos a fazer os eventos do Natal, Chocolate, Medievais e Ópera ao Ar Livre", diz.

Existe uma empresa municipal que faz a gestão conjunta de toda a política cultural da câmara e de toda a estratégia de marketing territorial. E quando os resultados financeiros de uma área são positivos, a parte remanescente é aplicada em projectos com menor capacidade de angariar apoios. E Telmo Faria exemplifica: "Um espectáculo de música que dá lucro pode financiar um de dança ou teatro que são actividades que não têm o suficiente para se pagar do ponto de vista de bilheteiras ou de sponsors."

Óbidos tem projectos em preparação até 2010. "Para 2008 vamos dar uma dimensão internacional ao nosso Festival de Ópera. Tem sido dominado por portugueses, mas vamos acrescentar artistas estrangeiros. Vamos procurar cenários naturais de excepção para grandes acontecimentos líricos com vozes internacionais", revela o presidente. Além disso estão a ser preparados projectos na área do design, das antiguidades e das artes contemporâneas. Haverá também o grande festival de cinema da Península Ibérica. "E o Festival de Gramado vai surgir dentro do festival de cinema de Óbidos", desvendou Telmo Faria.

Deixe aqui o seu comentário