O que dizem os trend setters portugueses

Por a 12 de Dezembro de 2007

Cerca de 75% consideram uma tendência viajar para cidade europeias para curtas estadias e 61% afirmam que o casamento homossexual é um direito. Estas são apenas duas das tendências identificadas pelo estudo “As novas tendências da sociedade portuguesa' que a APEME e as Produções Fictícias realizaram junto de 100 trend setters nacionais.
Este estudo detectou tendências em três áreas: privada, social e pública. A nível privado, estes portugueses valorizam cada vez mais o 'eu em casa', a procura da diferenciação pelo saber e o empenho pró-activo na construção da saúde, no que respeita à esfera privada. Já na esfera social, os resultados mostram que os trend setters procuram todos os motivos para viajar e procuram reforçar o sentido dos encontros sociais. Finalmente, na esfera pública, as tendências apontam para uma ruptura com os formatos políticos tradicionais, a relativização da orientação sexual e a busca de sentido e a metafísica.

Os 100 portugueses inquiridos estão, na sua maioria na casa dos 30 anos. O critério de selecção para participarem no estudo teve a ver com a área profissional e/ou estilo de vida estarem ligados à criatividade e à inovação.

As tendências identificadas (% da amostra que considera esta tendência significativa)

Viagens

– Decidir com facilidade viajar para cidades europeias para curtas estadias (75%)
– Desenvolver certas actividades com o objectivo de obter relaxamento/bem-estar (71%)
– Valorizar ficar instalado em espaços de ambiente seleccionado em alternativa a hotéis (70%)
– Marcar preferencialmente os destinos e hotéis através da internet (59%)

Casa/Pessoal

– Gastar dinheiro em elementos para a casa que envolvam preocupações energéticas (68%)                                                                                                                     – Estar verdadeiramente predisposto a aderir a conceitos tipo TiVo (63%)

– Estudar outras religiões como forma de desenvolver a sua própria espiritualidade (62%)
– Fazer questão em não fumar tabaco (59%)
– Morar numa casa antiga /reconstruída (57%)
– Considerar o casamento homossexual como um direito (61%)
– Desenvolver práticas/hábitos aos quais atribui dimensão espiritual (60%)
– Considerar que a adopção de crianças é um direito de qualquer ser humano independentemente da respectiva sexualidade (53%)
– Não estar ligado a nenhum partido político ou associação cívica, mas participar activamente em acções de movimentos de intervenção (51%)
– Achar que a filosofia zen combina com a vida urbana (55%)

Media/Cultura

– Criar pequenos vídeos para pôr no YouTube (62%)
– Utilizar activamente o Skype em substituição do telefone (59%)
– Ter “fome” de cinema de origem alternativa à Europa ou EUA (56%)
– Gosta de ver documentários em salas de cinema (54%)

Deixe aqui o seu comentário