Estudo: Despesas com bens éticos está a crescer

Por a 3 de Dezembro de 2007

As despesas com bens e serviços éticos quase que duplicou nos últimos cinco anos, de acordo com um relatório do banco Co-operative, refere o Brand Republic. Nos lares do Reino Unido, o consumo médio deste tipo de bens obteve um crescimento de 81 % de 2002 para cá, fruto dos 929.5 euros apresentados este ano. Assim, o mercado de bens de consumo ético cresceu 9% no último ano, ao obter um resultaldo de 45.2 mil milhões de euros. Porém, e embora pareça que estamos perante boas notícias para os ambientalistas, a verdade é que os consumidores de habitações privadas gastam apenas 8,4 euros por ano em energias renováveis.

O relatório diz também que no ano passado as famílias gastaram uma média 298 euros em produtos ambientais e energicamente eficientes, como é o caso de electrodomésticos que gastam níveis baixos de energia. Já os gastos com comida e bebidas “éticas”, como chá, café e bananas com origem no comércio justo corresponderam a 266 euros anuais.

Contudo, em algumas áreas não houve um bom desempenho, pois evidenciaram algum declínio, como as lojas de caridade que desceram o seu desempenho em 13%, em detrimento de sites de leilões na internet e de retalhistas que ofereceram um mercado alternativo de bens em segunda mão.

Por outro lado, o relatório diz que os consumidores estão cada vez mais desconfiados em relação a campanhas de publicidade que utilizam mensagens ambientais, isto porque quatro em cada cinco britânicos dizem que as empresas apenas o fazem para vender mais produtos.

Deixe aqui o seu comentário