L’Agence quer entrar em São Paulo em 2008

Por a 19 de Outubro de 2007

miguel-blanc.jpgA L'Agence está a preparar a abertura de uma agência de modelos em São Paulo. “Queremos que aconteça até Março de 2008”, adiantou ao M&P Miguel Blanc, managing director da L'Agence. A empresa está presente no mercado brasileiro desde Março através da L'Agence Rio, com uma equipa de sete pessoas. “Estamos com uma equipa boa de bookers. O nosso director, Hélio Passos, tem muitos anos de experiência no mercado brasileiro. A L'Agence Rio tem um departamento de models e um de actores”, descreve o responsável.O investimento a realizar com a abertura de um escritório em São Paulo “é consideravelmente maior que no Rio”, comenta Miguel Blanc, sublinhando as oportunidades de negócio que representa estar presente na principal cidade brasileira: “No Rio temos um fólio de 150 modelos. Acredito que em São Paulo esse número possa ser maior. O mercado brasileiro é acima de tudo exportador. Nesta ModaLisboa, nós, L'Agence, tivemos nove manequins brasileiras. O Brasil, a Rússia e alguns países de Leste são os principais fornecedores de modelos para o mundo”.

A L'Agence São Paulo já tem uma pessoa escolhida para ficar à frente da agência, “mas ainda é prematuro para pôr o nome no mercado”. A entrada no mercado brasileiro passa pela abertura do capital dessas operações a sócios locais. “Não queremos ter 100% da operação. Temos 75% da operação e esse será o modelo a seguir. Queremos sócios locais, com nome no mercado e que se sintam motivados por pertencer ao grupo”.
A agência quer ainda entrar na Europa de Leste e em Espanha. “Temos um projecto claro de expansão internacional. Estamos a trabalhar com Varsóvia e poderá ser ai que vamos abrir, porque é possível conciliar o mercado interno com a exportação, mas ainda não há datas”, aponta o responsável. Por enquanto, sublinha, “a prioridade é arrancar em São Paulo e estabilizar no Brasil”.

A L'Agence Rio deverá fechar o ano com uma facturação na ordem dos 500 mil euros. Já o grupo L'Agence, que integra além da agência em Lisboa e Rio de Janeiro, a Scriptmakers e a Addvoices, espera chegar ao fim do ano “perto dos 4,5 milhões de euros”, completa Miguel Blanc.

Deixe aqui o seu comentário