Dez anos a ensinar a reciclar

Por a 5 de Janeiro de 2007

A Sociedade Ponto Verde assinalou uma década de comunicação em que ensinou os portugueses a separar o lixo em prol do ambiente. As crianças foram, na maior parte dos casos, os veículos para transmitir a mensagem

Nasceu em 1996 e desde então não tem parado de ensinar os portugueses a respeitarem o meio ambiente através do simples acto de fazer a separação e reciclagem de embalagens. O ano que agora findou assinalou os 10 anos da Sociedade Ponto Verde (SPV), empresa privada que decidiu que Portugal também tinha de estar na linha da frente no campo da gestão de resíduos de embalagens. A actividade da SPV tem sido reconhecida e prova disso foram os galardões que recebeu nos Prémios Eficácia 2006 e que comprovaram que a comunicação feita por aquela empresa consegue ser eficaz em resultados com a conquista de 550 mil novos utilizadores.

“Quando iniciámos a nossa actividade, em 1996, estávamos perante um país algo reticente perante o tema da reciclagem, cujos valores de materiais encaminhados para reciclagem eram realmente baixos e em que, além do vidro e do papel, pouco mais se separava”, contou ao M&P Luís Veiga Martins, director-geral da SPV. “Dez anos volvidos, as quantidades de materiais retomados têm registado números bastante expressivos, o que nos leva a crer que essa mudança de mentalidades e, fundamentalmente, de hábitos, fica a dever-se, não só mas também, á nossa estratégia de comunicação”, confirma.

A Aventura da Reciclagem (2002), Separar Toca a Todos (2004), as campanhas publicitárias Param e Filhos (2003) e os programas de televisão Ponto Verde e Ponto por Ponto – Reciclar é Viver são alguns títulos de acções que a SPV desenvolveu. Uma comunicação que resulta de um investimento anual de quatro milhões de euros e que tem, essencialmente, como protagonistas os mais novos já que, como afirma Luís Veiga Martins, “as crianças são os melhores veículos para as mensagens que pretendemos passar”. Teatrinho, criada pela TBWA, é o mais recente dos exemplos de como a partir de uma linguagem fácil se consegue passar a mensagem de como “as embalagens que vão para o ecoponto têm sempre um final feliz”. A estratégia a seguir pela SPV, explica o responsável, vai manter-se, ou seja, a aposta nas crianças para usarem da palavra para convencer os portugueses que reciclar é fácil continuará, bem como o uso de publicidade para veículo de passagem daquela informação.

Deixe aqui o seu comentário