CTT apostam no marketing viral

Por a 5 de Janeiro de 2007

Os CTT decidiram apostar no marketing viral em duas fases de comunicação distintas. Para a altura do Natal foi criado, pela Webdote, um postal de Natal que era enviado por e-mail e que, quando aberto, tinha uma caixa de correio com o remetente e o destinatário personalizado. Lá dentro estava um urso de peluche, que era retirado pela mão de uma criança e que simbolizava também o objectivo desta iniciativa: por cada 20 postais enviados os CTT ofereciam um presente á UNICEF para uma criança. Aparecia depois uma caixa que sugeria o envio para 20 amigos para contribuir com uma prenda. E o resultado foi “um fenómeno”, explica Ricardo Teixeira, administrador da Webdote. O envio dos postais começou no dia 19 de Dezembro e “em apenas quatro dias foram enviados 250 mil postais, até agora já chegámos aos 330 mil e a estimativa é que cheguem aos 400 mil “. O resultado positivo levou a que os CTT renovassem a aposta no marketing viral para divulgar o patrocínio á partida do Lisboa-Dakar. A agência criou um filme onde um piloto do Dakar, dentro do carro e na linha de partida, é atingido pelo tiro de partida. O vídeo foi enviado para uma base de dados, promovido por banners nos motores de busca e contou com a promoção, gratuita e livre, do YouTube. No fim do vídeo surgia o endereço do site, criado pela Webdote, onde terminava o filme e se via que era apenas uma brincadeira, e onde os utilizadores podiam participar num passatempo para ganhar um viagem á Mauritânia. Na semana em que arrancou foi o segundo vídeo mais visto do YouTube na categoria automóveis e veículos, está na tabela dos 20 mais vistos do mês e já teve perto de 50 mil visualizações. E este era o objectivo, explica o responsável, que “estas acções com pouco investimento atinjam a notoriedade que outras marcas só atingem com um grande investimento”.

Deixe aqui o seu comentário