As marcas mais valiosas do mundo

Por a 31 de Julho de 2006

nterbrand

Sete das dez marcas mais valiosas do mundo são norte-americanas, de acordo com o estudo das 100 marcas mais valiosas do mundo, elaborado pela Interbrand e pela Business Week A Coca-Cola lidera o ranking das 100 marcas mais valiosas de 2006, representando 52,6 mil milhões de euros, seguida da Microsoft (44,7 mil milhões), IBM (44,1 mil milhões), GE (38,4 mil milhões) e Intel (25,3 mil milhões). A finlandesa Nokia ocupa a sexta posição. A japonesa Toyota, a Disney, a McDonald's e a alemã Mercedes ficam com os lugares seguintes. O estudo anual da Interbrand destaca o desempenho da Nokia, (6ª posição), que além de ocupar a liderança no sector dos telemóveis, viu o seu valor de marca crescer 14%, face ao estudo de 2005. A Motorola, em 69º lugar e depois de aumentar 18% é destacada pela consultora pelo esforço que tem feito na criação de produtos para a gama mais alta. O Google, que está na 24ª posição, ao crescer 46%, entre 2005 e 2006, foi a marca que obteve o melhor progresso face ao estudo anterior. Já a cadeia Starbucks, que ocupa a 91º lugar, cresceu 20% porque «encontrou um sucesso financeiros através do aumento da sua marca com a criação de locais de comida rápida premium e com a extensão dos seus produtos á oferta de música e publicações», justifica a consultora. Gap, Ford e Kodak são as empresas que registaram a maior queda no valor de marca. A Gap, que está em 52º lugar, viu o valor cair 22%. «A Gap tem estado impossibilitada de clarificar a sua imagem de marca e com um posicionamento menos diferenciado, a marca foi menos eficiente nas suas vendas, o que produziu uma redução da sua estabilidade no curto prazo», aponta a Interbrand. Já a Ford, que ocupa a 30ª posição, caiu 16%. «A herança americana da Ford não é um atributo de marca suficiente para manter o seu posicionamento frente aos fabricantes de automóveis do Japão e da Alemanha», escreve a Interbrand. Já a Kodak, que está em 70º lugar, perdeu 12% do seu valor de marca. A consultora reconhece os progressos que a marca tem desenvolvido para adaptar-se ao

Deixe aqui o seu comentário