Cannes: Bolloré garante que não quer fundir Aegis e Media Planning

Por a 23 de Junho de 2006

Bolloré

Vicent Bolloré, que tem estado nas últimas semanas debaixo da atenção da imprensa internacional por tentar, através da sua participação de 29% na Aegis, ocupar dois lugares no conselho de administração da empresa, explicou ontem de manhã os planos que tem para a empresa de meios e para o grupo Havas. Naquela que foi a sua primeira deslocação a Cannes, o presidente do conselho de administração do grupo Havas, mostrou-se realista quanto ao desempenho da Havas. “Há cinco anos, estávamos ao mesmo nível que a Publicis, a Publicis cresceu bastante, a Havas não. Bolloré foi lacónico: “temos o dinheiro suficiente para crescer”, afirmou, sem no entanto apontar quais os países ou empresas que, eventualmente, poderá comprar.

A propósito da Aegis, Bollote adiantou que “como accionistas, temos de participar no debate” da empresa. Apesar de deter 29% da empresa, “se não chegarmos ao board, teremos apenas 30 minutos por ano para dar a nossa opinião”.

Bolloré assegurou ainda que não pretende fundir a Media Planning (do grupo Havas), com o negócio de meios da Aegis, que inclui a Carat. “A Aegis tem de continuar independente. O modelo actual e bastante atraente e motivante”, justificou sem, no entanto, excluir sinergias entre as diferentes agências de meios, “ao nível das ligações comerciais, como é a compra de media”.

Pressionado pelos jornalistas para posicionar o seu grupo perante os outros gigantes da comunicação, Bolloré indicou que não precisa “de ser maior para ser mais eficaz. O tamanho actual é bom para os clientes porque evita os conflitos que têm os outros grupos. Poderemos vir a fazer aquisições, mas não é esse o nosso objectivo principal”, assegurou.

Rui Oliveira Marques, em Cannes

Deixe aqui o seu comentário