Partners traz primeiro Ouro em Rádio

Por a 23 de Junho de 2006

premio

A Partners ganhou um Ouro em Rádio, com os spots Lento, Fado e Espanhol . A campanha, produzida pela Índigo, foi feita para a PT Prime

A campanha de rádio da Partners, que teve produção da Índigo, para a PT Prime recebeu um Leão de Ouro na categoria de rádio. Foi a primeira vez que um spot português foi premiado em Cannes. Dos 1032 trabalhos inscritos, 72 saíram de Cannes na lista de vencedores. A campanha da Partners, já premiada no Clube de Criativos e no festival de Língua Portuguesa, era constituída pelos spots Lento, Fado e Espanhol. “A campanha é boa e criativa. Baseia-se numa situação que ocorre em todos os países, isto é, ligar para uma empresa e ficar a ouvir música enquanto se espera que alguém atenda. Sendo universal, é mais fácil de entender. A campanha está muito bem produzida e tem os ingredientes certos para ganhar”, justifica Susana Sequeira, directora criativa da Partners e jurada na competição de rádio. Os spots promoviam um tarifário especial para empresas.

A avaliação do júri implicou ouvir os spots na versão original, acompanhados pelo script. Só depois é que os jurados poderiam ouvir uma versão traduzida para inglês, caso o anúncio existisse.

A propósito do Leão em rádio, Susana Sequeira assegura que “havia hipótese para mais trabalhos portugueses. O facto de Portugal ter ganho um Leão de Ouro é um sinal para que os portugueses deixem de ter preconceito em relação á língua. Os jurados ouviram todos os anúncios na versão original e posso dizer que, por vezes, o humor na versão original era mais interessante do que em inglês”.

O presidente do júri também colocou a tónica na vitalidade de uma categoria que vai no segundo ano de existência. “Não queremos que seja uma pequena categoria ou apenas um incentivo para as agências. Houve poucas empresas e países que enviaram trabalhos porque achavam que não valia a pena”, comentou Guillaume van der Stighelen, fundador da Duval Guillaume Bruxelas. A razão apontada pelas agências para o fraco interesse tem sido a necessidade de haver uma versão do spot em inglês, para captar a atenção dos jurados. “É um mal-entendido. Não houve um caso em que isso tivesse ajudado a ganhar prémios”. O presidente do júri aproveitou também para passar a mensagem de que a rádio é como “um amigo. Pode-se contar uma história sobre uma marca como em mais nenhum meio”. Mas, então, porque é que as agências descuram este meio? “Porque não há muitos prémios para rádio”, justifica..

Deixe aqui o seu comentário