Como inovar?

Por a 26 de Julho de 2002

Pela saturação publicitária que se tem detectado nos meios de um modo geral, com maior incidência na televisão, o spot inserido num normal bloco publicitário, ou a simples página na revista, começam a não ser suficientes para impactar e se diferenciar junto do consumidor. A única forma de quebrar este estado é pela criatividade em media. (…)

Os estrategas e planeadores de media têm de começar a ser valorizados também pela criatividade na sua função. Uma maior aproximação entre as agências de meios e as agências criativas torna-se também fundamental, a discussão conjunta de novas ideais só poderá permitir potenciá-las mais ainda.

Por outro lado, a criatividade em media, para se implementar, precisa de um forte apoio em duas áreas:

a primeira, e de extrema importância, começa por implicar a existência de um forte elo de relação com os meios que permita uma grande abertura da parte destes para o desenvolvimento e implementação das ideias criativas.

Se por um lado temos meios com total abertura, outros há que apresentam grande resistência a diferentes formas de anunciar nos seus suportes. O custo desta inovação é outro factor de que devemos falar, pois nem sempre se justificam os elevados custos que são pedidos pelos meios para implementação de determinada criatividade no seu suporte.

É fundamental haver da parte de todos uma percepção da importância de inovar na media.

Outro apoio fundamental para esta criatividade é provarmos que determinada inovação em media surtiu resultados junto do consumidor, para tal é necessário ter o apoio da área de research. (…)

Falando especificamente de patrocínios (…), torna-se agora urgente também recriá-los. O grande peso e importância dos patrocínios prende-se com o facto de permitirem uma associação do produto/marca patrocinador ao programa/evento/ou qualquer outra situação que se está a patrocinar, o enquadramento na temática e no conteúdo são um factor crucial.

Hoje em dia já não nos parece que a ideia seja essa, patrocina-se determinado programa de televisão porque a ele está associado um conjunto significativo de autopromoções e assim se garante uma forte e frequente presença da marca. (…)

É necessário olhar sempre cada caso como um caso e recriá-lo de acordo com as oportunidades de sucesso (…). Por outras palavras, desenvolvendo parcerias entre todas as partes envolvidas e criando sinergias, é possível garantir no final o sucesso das marcas, que consequentemente é também das agências e dos meios. (…)

Deixe aqui o seu comentário