Quanto mais depressa…

Por a 7 de Dezembro de 2001

A Direcção Geral de Viação (DGV) e a Prevenção Rodoviária Portuguesa (PRP) lança campanha para alertar consciências

O apelo á mudança da realidade portuguesa no que diz respeito á

sinistralidade é feito através de uma campanha de sensiblização que

tem como principais protagonistas vítimas reais de acidentes

de viação. Na campanha, cujo claim é “Quanto mais depressa mais

devagar”, é lançado um repto a todos os condutores do país para que,

através dos exemplos apresentados, tomem consciência da

responsabilidade que lhes é conferida ao cometer uma infracção,

distracção ou excesso.

De acordo com Filipa Robalo, account director da BBDO, agência que

concebeu os anúncios, «pareceu-nos essencial desenvolver uma

campanha capaz de impactar as pessoas, tentando minimizar o problema

de falta de identificação. No fundo, gostaríamos que cada um pensas-

se “podia ser eu”».

Veículada até ao final de 2002, a campanha é constituída por 12

filmes de televisão, 12 sopts de rádio — um para cada mês do ano

— mupis, autocarros e cartazes.

Ao mesmo tempo, serão realizadas acções de relações públicas,

desenvolvidas pela Sanchis Comunicação, das quais se destaca um road-

show que passará por diversas escolas e universidades um pouco por

todo o país. O road-show integra um grupo de pessoas, no qual se

inclui um tetraplégico, vítima de acidente de viação, que

testemunhará a sua história junto dos estudantes.

Com esta campanha, a Direcção Geral de Viação e a Prevenção

Rodoviária Portuguesa esperam reduzir em muito os acidentes

registados — 150 por dia — nas estradas portuguesas.

Deixe aqui o seu comentário