O Comércio do Porto entre duas mãos

Por a 24 de Agosto de 2001

As coisas não estão muito fáceis para O Comércio do Porto. Após ter sido reestruturado há sensivelmente dois anos — o que implicou necessariamente uma forte aposta na contratação de jornalistas com nome vincado na praça e, consequentemente, gerou um aumento significativo da folha salarial —, as dívidas da publicação da Cidade Invicta têm aumentado sobremaneira, falando-se, inclusivamente, que a Segurança Social é credora de uma verba que ronda as várias centenas de milhar de contos.

Nos últimos meses, O Primeiro de Janeiro de Eduardo Costa e a Pressibérica, empresa espanhola que detém, por exemplo, o título Faro de Vigo, um dos jornais mais credenciados da Galiza, manifestaram interesse em adquirir O Comércio do Porto, desde que as dívidas passassem a… zero. Eduardo Costa pretende tornar O Comércio do Porto numa publicação dirigida para a Economia, o que deixava O Primeiro de Janeiro sem um concorrente de peso.

Neste momento não há qualquer decisão sobre a participação por parte de qualquer dos interessados acima mencionados, contudo, o próximo mês deve ser determinante. Por confirmar fica a propalada desistência da Pressibérica depois de, alegadamente, ter ficado por dentro dos dossiers do matutino…

Deixe aqui o seu comentário