O sobe e desce da imprensa

Por a 20 de Julho de 2001

Record, Super Pop, Maxim, TV 7 Dias, Caras Decoração e Executive Digest são os novos líderes dos respectivos segmentos, de acordo com a 2ª vaga do Bareme Imprensa

A 2ª vaga do Bareme Imprensa/Marktest (Abril/Junho 2001) veio revelar mexidas na liderança de alguns segmentos. Da análise comparativa com o período homólogo de 2000 salienta-se que, no segmento dos Jornais Diários de Informação Geral, as únicas subidas foram protagonizadas pelo Jornal de Notícias (9,28%) e pelo Público (14,63%). Em sentido oposto está o Diário de Notícias que, apesar de ser o único diário a registar uma subida (4,76%) relativamente á vaga anterior, cai 21,43%. Em termos globais, este segmento regista uma variação homóloga negativa de 0,65%.

Nos Jornais e Revistas Semanais a liderança continua a ser detida pelo Expresso, apesar de ter registado uma queda de 5,06%. A revista Visão e o Jornal da Região (de cariz regional) subiram 24 e 26,67%,

respectivamente. O renovado O Independente apresenta a maior queda homóloga (-16,67%) do seu segmento. No entanto, este “Quarto Poder” recupera 16 pontos percentuais relativamente á vaga anterior. Para os lados do Semanário é que as coisas parece não correrem de

feição, com mais um senhor trambolhão de 50%.

Onde a guerra parece estar para durar é nos jornais desportivos. O mítico diário A Bola vê-se arredado da liderança por troca com o Record. Curiosamente, a inversão de papéis é feita á custa da fraca prestação do diário da Sociedade Vicra Desportiva, que verifica uma descida de 14,12%. Destaque ainda para a subida homóloga registada no segmento de jornais e revistas semanais de automóveis (30,38%).

“A menina dos meus olhos é a Maria” — esta bem poderia ser uma frase atribuída a Jacques Rodrigues. De facto, esta revista do Grupo Impala continua destacada no topo das revistas semanais femininas, verificando-se uma subida homóloga de 1,12%.

Nos títulos mensais, a Máxima continua a liderar de forma destacada, tendo crescido 21,78%. Aliás, o segmento de revistas femininas regista uma subida global de 10,39%.

Esta 2ª vaga do Bareme Imprensa tem ainda a curiosidade de apresentar as primeiras audiências das revistas masculinas. A Maxim surge á cabeça com 2%, seguida pela Men’s Health, com 1,3%.

Mas a subida mais espectacular neste Bareme verifica-se nos títulos de Televisão. A TV 7 Dias ultrapassa a TV Guia, registando uma subida homóloga de… 80%!

Em tempos de crise, quem parece sofrer é o segmento dos Jornais

e Revistas de Economia, que se afunda 15,91%.

Deixe aqui o seu comentário