TMN permanece no topo

Por a 23 de Março de 2001

A TMN conserva a liderança da eficácia publicitária, agora secundada pela Telecel. Nesta 42ª vaga, a tabela das classes C2 e D regista três entradas directas

O primeiro lugar do ranking geral desta 42ª vaga continua a ser assegurado pela TMN, que na vaga anterior ascendera ao topo. No entanto, e apesar deste resultado, esta campanha apresenta uma variação negativa de 15,4%. A Telecel, sua concorrente directa, ascende ao segundo lugar da tabela, graças a uma variação positiva de 2,69%. A maior subida é protagonizada pela Dodot, que salta da 21ª para a décima posição, com uma variação positiva de 38,06%. A Oni tem a maior variação negativa (23,73%) descendo de 13ª para 27ª. A 30ª posição é ocupada pela Mon Bebé, fruto de uma subida fulgurante desde o 73º lugar.

Os resultados referentes ás classes A, B e C1 também são dominados pelas operadoras de telecomunicações, com a TMN e a Telecel a manterem os primeiro e segundo lugares, respectivamente. Esta tabela regista a entrada directa da campanha de promoção da revista “Lux Woman” para a 27ª posição. Neste quadro, as subidas mais acentuadas pertenceram á Ford, que, com uma variação positiva de 50%, ascende da 102ª á 19ª posição; á Levis, com a passagem da 62ª posição para a 18ª; e á Kellogg’s, que sobe do 55º lugar para o 17º. Esta tabela regista ainda uma entrada directa, a da “Lux Woman”, para a 27ª posição.

A tabela das classes C2 e D é agora liderada pela campanha de promoção ao programa “Big Brother”, que na semana anterior estava em segundo lugar. A variação positiva desta campanha foi de 9,59%. A segunda posição é ocupada pelo Skip, que desce do primeiro lugar devido a uma variação negativa de 14,35%. Nesta tabela ocorreram três entradas directas: a Dodot, que ocupa a décima posição; a Mercedes, que passa para o 15º lugar; e, finalmente, a Neoblank, em 30ª lugar. Nesta tabela merecem ainda destaque as subidas do Jumbo, da 67ª posição para a 18ª (com uma variação positiva de 47,22%) e do Lipton, que passa de 69ª classificado para 25º.

O Índice

No índice de eficácia publicitária, não basta as campanhas serem recordadas espontaneamente e existir algum elemento de memorização. Outros factores são contemplados: a) a ordem de recordação; b) o número de meios; c) o número de horas frente á televisão, o facto de sair ou não da sala, ter ou não o hábito de fazer zapping.

Em termos de números, estamos a realizar cem entrevistas telefónicas por semana e os resultados apresentados são o acumulado de quatro semanas, ponderados, no entanto, em função da semana: os resultados da última semana “valem” obviamente mais do que os das semanas anteriores.

Deixe aqui o seu comentário