“Regiões” tem nova cara

Por a 30 de Março de 2001

Depois do “Jornal da Tarde”, “Telejornal” e “24 Horas”, é agora a vez de o programa “Regiões” apresentar novidades ao nível dos cenários e genérico. Por outro lado, foi introduzida uma nova rubrica: “Microfone RTP”

O programa “Regiões”, que a RTP1 transmite diariamente de segunda a sexta-feira por volta das 19h30, apresenta, desde o início da semana, novidades ao nível do grafismo. Novos cenários, genérico renovado e a nova rubrica “Microfone RTP”, transmitida semanalmente á sexta-feira, que dá oportunidade á população de emitir a sua opinião sobre as questões que marcam cada região, são as alterações introduzidas, consequência do projecto de renovação iniciado em Setembro último com os noticiários da RTP1 “Jornal da Tarde”, “Telejornal” e “24 Horas”.

O projecto foi desenvolvido em conjunto pela RTP e BBC e tem como objectivo principal caracterizar cada uma das sete delegações de emissão regional. Deste modo, os centros do Porto, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Lisboa, Évora e Faro passam a apresentar cenários “personalizados”, com motivos que simbolizam a região onde estão inseridos.

«Deixámos de agir como se o “Regiões” fosse o “Telejornal” dos pobres» Em relação ao investimento envolvido, José Rodrigues dos Santos, director de informação, refere que «foi reduzido porque não foi comprado nenhum produto de catálogo. Em vez disso, contruímos os cenários de raiz».

Transmitido desde 1997, o programa “Regiões” tem vindo a ganhar peso na estrutura informativa da RTP. «O “Regiões” é fundamentalmente popular nas regiões fora de Lisboa e Porto. O que acontece é que a Marktest faz uma distribuição desigual dos equipamentos de medição das audimetrias, o que faz com que os valores das audiências não sejam os mais correctos», refere José Rodrigues dos Santos, que acrescenta: «Deixámos de agir como se o “Regiões” fosse o “Telejornal” dos pobres».

Como tal, a direcção de informação definiu já uma nova estratégia. Carlos Fino, sub-director do departamento e responsável pela informação regional, afirma que um dos objectivos da estação do Estado «é fomentar a formação dos jornalistas que estão nas delegações regionais. Realizámos um encontro entre os responsáveis pelos centros de emissão regional e a necessidade de uma maior formação foi uma das conclusões a que chegámos».

Por outro lado, e ainda dentro dos projectos do departamento de informação, está «a abertura de mais algumas delegações, sem particular aumento de custos, principalmente no interior do país», conclui Carlos Fino.

Transmitido desde 1997, o “Regiões” tem vindo a ganhar peso na estrutura da RTP

Deixe aqui o seu comentário