RTP apresenta novidades

Por a 12 de Janeiro de 2001

A estação pública apresentou novos projectos para 2001: lançar dois canais temáticos no cabo e proceder a reformulações no Canal 2 são as principais alterações

Dos novos projectos para 2001, apresentados na passada terça-feira, 9 de Janeiro, pelo conselho de administração da RTP, destacam-se os dois canais temáticos, a lançar até ao final do ano no cabo, e uma reformulação no Canal 2, que passa a dedicar maior atenção a áreas como a cultura, educação e ciência e tecnologia e a apresentar noticiários á hora certa, 24 horas por dia.

Um dos novos canais será destinado ao público jovem, entre os 10 e os 35 anos. «Trata-se de um espaço aberto á criatividade e ao desenvolvimento de actividades» que incidem sobre áreas como a música, artes, multimédia e entretenimento», adianta João Carlos Silva, presidente do conselho de administração da estação. O outro projecto televisivo, de interesse para todos os públicos, contempla a reexibição de peças de arquivo da RTP. Serão apresentados trabalhos documentais, acompanhados de debates e comentários de especialistas, sobre o material que foi «menos explorado ou mesmo inédito», acrescenta o responsável.

Consolidar e reforçar o perfil do Canal 2 é também um dos objectivos desta televisão para o corrente ano. Continuar como canal alternativo e complementar dos generalistas ao nível de programação é a intenção dos responsáveis da RTP, que pretendem manter a sua actuação, embora sejam mais reforçadas as áreas da educação, cultura, ciência e tecnologia. O desenvolvimento da componente informativa, em sintonia com o conceito do canal, é outra das novidades introduzidas, estando prevista a emissão de blocos informativos 24 horas por dia, sempre á hora certa.

Uma aposta estratégica

Uma forte reestruturação também na imprensa escrita, sobretudo na editora TV Guia, constitui ainda uma aposta estratégica do grupo. Margarida Pinto Correia, que antes dirigia a “Cosmopolitan”, passa a ser a nova responsável pelas publicações da editora.

Todas estas novidades surgem na sequência de diversas medidas de reestruturação interna efectuadas ao nível de gestão da empresa. A modernização operacional e tecnológica e novas instalações, mais modernas, estão entre os planos da RTP para os próximos anos: «Há um protocolo com a CML para uma permuta de instalações através da valorização dos nossos imóveis.» A construção de raiz de um novo edifício-sede a inaugurar daqui a três anos são as previsões do presidente do conselho de administração da RTP, que tem ainda outro desafio pela frente: a racionalização económica e a sustentabilidade da empresa. Equilibrar economicamente a RTP em quatro anos é o que pretendem os responsáveis pela estação. «A empresa é melhor do que parece, mas pior do que devia ser», salientou ainda João Carlos Silva, no mesmo dia em que anunciou o ressurgimento de uma nova RTP, «mais jovem, dinâmica e economicamente reequilibrada».

Quanto ao Canal 1, pretende-se privilegiar a qualidade da programação, com forte incidência na produção nacional e no entretenimento de qualidade. «Queremos um canal acorrentado a uma programação de qualidade», afirma João Carlos Silva.

Deixe aqui o seu comentário