Nova Expressão ganha Citibank

Por a 3 de Novembro de 2000

A Nova Expressão tem a seu cargo o planeamento de meios para divulgação dos Warrants Citibank

A Nova Expressão ganhou a conta de planeamento de meios para o lançamento dos Warrants Citibank, cuja entrada no mercado nacional foi aprovada recentemente pela CMVM, anunciou Pedro Loureiro, director do serviço a clientes da agência. Um warrant é um produto financeiro que «dá o direito, mas não a obrigação, de comprar ou vender um activo subjacente a um preço pré-determinado (preço de exercício) até uma determinada data», explica Sofia Correia de Sampaio, do Citibank. Os activos subjacentes aos warrants agora emitidos são as acções da Portugal Telecom e o índice Nasdaq.

Para a primeira fase foram escolhidos títulos da imprensa especializada como o “Diário Económico” e o “Semanário Económico”, tendo como target o mercado institucional e os “heavy investitors”; o “Jornal de Negócios”, para divulgar o produto junto do investidor individual; o caderno de economia do “Expresso”, numa perspectiva mais alargada do público-alvo; e a “Valor”, dado que os warrants lançados no mercado estão directamente relacionados com as novas tecnologias, tema abordado pela revista.

A campanha consiste na inserção de um anúncio de meia página nos títulos mencionados e implica um investimento de 20 mil contos, valores Sabatina, até ao final de 2000. A segunda fase, com início previsto para Janeiro de 2001, terá um alvo mais alargado.

Entretanto, a Nova Expressão mudou de instalações para um palacete restaurado no Beco do Grilo, Beato. Pedro Loureiro explica: ã uma «mudança global relacionada com o crescimento da agência.»

Deixe aqui o seu comentário