Criar confiança

Por a 28 de Julho de 2000

Rui Carrapa Responsável pela Central aventura

Como se define a Central Aventura? É uma empresa que opera na área do lazer, oferecendo programas com múltiplas actividades. Neste sentido, posiciona-se como fornecedora de serviços (below-the-line) para todo o tipo de empresas que desejem proporcionar novos programas, designadamente em matéria de relações públicas internas (colaboradores), ou novas experiências no que respeita a relações públicas externas (convidados). Neste momento, a empresa dispõe de quatro colaboradores, aos quais se juntam mais seis, em part-time, em função das actividades a coordenar. Que actividades/serviços oferece? Além das actividades básicas, que funcionam autonomamente ou em pacotes – manobrar papagaios-dirigíveis, observação de pássaros e do céu nocturno, jogos tradicionais, passeios pedestres, tiro com arco, setas, espingarda e pistola de pressão de ar, carros telecomandados com motor de combustão, kart cross automático, motos de água, hovercrafts, parasailing, paraquedismo, rafting, paintball, canoagem, slide, escalada, parapente, balonismo, BTT e TT -, a Central Aventura também programa mini-challengers, destinados a complementos de seminários, formação outdoor e team building. Têm como alvo empresas e grupos. Porquê? A razão desta nossa opção é puramente estratégica. Isto, porque queremos ter uma posição de relevo junto do mercado empresarial e, para darmos resposta com a qualidade que pretendemos, necessitamos de focar aqui a nossa actividade. Como decorreu a festa de apresentação? A festa de apresentação foi um sucesso. Todos os participantes gostaram, das crianças (para quem foi reservada uma área específica) aos adultos que executaram tarefas que nunca tinham experimentado, designadamente o slide. Mas, mais do que uma festa de apresentação, tratou-se de abrir as portas a um público que não se encontrava constrangido, pois estava fora do contexto “empresa”. Já têm algum trabalho planeado? E quais são os vossos primeiros clientes? Ainda este mês haverá outro evento de um dia, também no Gerês, com a empresa Imediata, do sector informático. Em carteira, neste momento, estão em preparação programas para o CESAI, AEP, Credifin e Cofanor. O nosso primeiro cliente foi precisamente a Credifin, para quem já executámos um programa de três dias. Objectivos para este ano? Dar mais “sentido” aos recursos humanos de muitas empresas. E demonstrar que não basta dizer que o capital mais importante são as pessoas, pois é preciso valorizá-las e criar condições para o seu desenvolvimento. Numa expressão: criar confiança.

Deixe aqui o seu comentário