Dupla para vencer

Por a 26 de Maio de 2000

O ingresso de José Pedro Sousa e Masakata na produtora vem ao encontro da política da agência: acreditar em novos talentos, dar-lhes oportunidade e instrumentos para se imporem. O resto cabe-lhes a eles e, até agora, tudo indica que a aposta de João Vilela, director de produção e um dos sócios da Krypton, vai ter sucesso. A contratação de dois novos realizadores insere-se, segundo João Vilela, «na tentativa de se criar a equipa de trabalho perfeita. E penso que conseguimos». José Pedro Sousa, 25 anos, foi o primeiro nome a constar da lista das novas contratações. O convite para integrar a Krypton surgiu logo após a conclusão do curso de Cinema e Vídeo, na Escola Superior Artística do Porto (ESAP), mas a principal razão para o convite de João Vilela foi a longa-metragem “Kuzz”, filme de final de curso que entrou em competição no Fantasporto. Com um orçamento de apenas 80 contos, José Pedro teve de escrever, realizar, produzir e montar, participando, inclusive, na banda sonora. Esforços que, segundo o realizador, valeram a pena, uma vez que «os resultados aparentemente estão á vista». Na Krypton está a ser o responsável pela realização dos dois anúncios que compõem a campanha da NetSapo, experiência totalmente diferente mas bastante compensadora. O facto de trabalhar integrado numa equipa coesa é um aspecto importante, principalmente porque «basta pedir para que todas as necessidades sejam rapidamente satisfeitas», afirma José Pedro Sousa. A importância do trabalho de equipa é também um dos factores que Masataka destaca: «O pessoal da produção faz tudo o que é preciso, em vez de ser eu a fazer.» Já com alguma experiência no meio – Masataka fez diversos trabalhos em Tóquio -, o realizador japonês encontra algumas diferenças entre os dois países, nomeadamente o facto de Portugal ser muito mais permissivo: «A duração de um anúncio é muito importante para um realizador e, em Portugal, são todos menos rígidos.» Interessante foi o seu primeiro trabalho para o mercado nacional: o vídeoclip do grupo Ornatos Violeta. Masataka veio para Portugal depois de João Vilela ter visto o seu trabalho de final de curso na New York Film Academy. Na verdade, essa é a única semelhança entre José Pedro Sousa e Masakata: ambos receberam formação académica muito mais virada para o cinema. É igualmente a pensar nessas características que João Vilela garante: «Os objectivos da Krypton passam, num futuro próximo, pela equiparação do número de trabalhos de publicidade e de ficção.»

Deixe aqui o seu comentário