McCann sensibiliza

Por a 24 de Março de 2000

São três as entidades ás quais a McCann-Erickson ofereceu a sua criatividade em prol de causas sociais

As campanhas pro-bono são prática corrente na maioria das agências de publicidade. Colocam a sua criatividade ao serviço do mais variado género de instituições. A McCann não foge á regra e tem neste momento quatro campanhas finalizadas e prontas a ser divulgadas. Duas das campanhas são para a Sociedade Protectora dos Animais. A primeira, “Cão”, é um filme para televisão que será acompanhada por outdoors, com espaço garantido através da Red. No filme, a história é simples. Um homem, de carro, atropela um cão. Mas, em vez de o socorrer, a sua preocupação é limpar o carro, que se sujou. O outro anúncio para a Protectora chama-se “Foca”. Em imprensa, mostra-se o sangue de uma foca morta a “sujar” um manto de neve. Surge enquadrado numa janela de computador onde a seta do rato está por cima do comando “Can’t undo”… impossível voltar atrás. O objectivo desta campanha é alertar para o recomeço da caça ás focas-bebés e os perigos que esta situação pode colocar para a sua exinção. Para a Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes, a McCann criou um filme que dá pelo nome de “Beethoven”. Nele, o objectivo é diminuir os freios postos á contratação de deficientes, apresentando o exemplo clássico de um deficiente (surdo) que fez um trabalho reconhecido mundialmente: Beethoven. Para acompanhar o filme de televisão, cuja aposta reside no som, está a ser estudada a hipótese de concepção de uma campanha para rádio. Com o objectivo de alertar os jovens, nomeadamente os desportistas, para os problemas causados pelo doping, a McCann-Erickson criou três anúncios para a Fundação do Desporto. Imagens fortes mostram as consequências desta prática aos mais diversos níveis, da masculinização das mulheres ao cancro, sem esquecer a esterilidade. O objectivo da McCann, e da própria Fundação, é dirigir esta campanha para publicações de cariz desportivo.

Deixe aqui o seu comentário