O Papel da Imprensa na Comunicação Social, parte IV

Por a 4 de Fevereiro de 2000

Nesta fase, são analisadas as relações entre os meios como fonte de informação e de ideias úteis e as atitudes face ás potencialidades e funções dos meios

A quarta brochura do estudo “O Papel da Imprensa na Comunicação Social», promovido pelas associações da imprensa não-diária e diária, apresenta como principal conclusão a não dependência entre a atitude do público face aos meios (revistas, jornais e televisão) e o conteúdo procurado nos mesmos. A televisão é, no entanto, o meio onde se verifica uma maior dependência das duas vertentes em análise. Nesta fase do estudo coordenado por Cristina Luz, foram consideradas quatro atitudes face ás potencialidades e funções dos meios – entretenimento, acessibilidade, adequação e informação – e seis áreas de informação e ideias úteis – consultório pessoal, educação, entretenimento/lazer/cultura, investimento pessoal, política/sociedade/economia e novas tecnologias. Neste contexto, a acessibilidade corresponde á facilidade de aquisição, manuseamento e familiaridade com o meio e a adequação diz respeito á proximidade do meio ao modo de vida dos inquiridos. No caso das revistas, a maior utilidade apontada pelos inquiridos recai sobre temas considerados no âmbito do consultório pessoal, das novas tecnologias e da educação. Nos jornais, a utilidade prende-se mais com o investimento pessoal e política/sociedade/economia. Em televisão, a educação e o consultório pessoal são os assuntos de maior utilidade, independentemente de a atitude do espectador ser maioritariamente de entretenimento, informação ou outra. Em termos da análise da relação entre a utilidade dos meios e a atitude face á publicidade veiculada nos mesmos, conclui-se que, nas revistas, sobressai a atitude mais positiva perante a publicidade. Nos jornais, a utilidade é reconhecida, mas os motivos de desagrado suplantam os positivos. Por último, em televisão, os motivos de agrado e desagrado equiparam-se e a utilidade é menos mencionada.

Deixe aqui o seu comentário