SIC, RTP e TVI: o balanço de 1999

Por a 7 de Janeiro de 2000

Num ano marcado pela tentativa de recuperação da TVI, as audiências confirmam os esforços da estação da Media Capital e a tendência descendente da RTP. A SIC é líder absoluta

Ao cabo de um ano de emissões, é tempo de fazer balanços. A SIC é a indiscutível líder de audiências de 1999, embora, em comparação com o ano de 1998, e segundo dados da extinta AGB, registe uma quebra de 3,4% de share. A RTP, que tenta agora recuperar da situação catastrófica em que se encontra, desceu 5% e a TVI cresceu 18,4%, de 1998 para 1999. A RTP2, em share de audiências, subiu de 5,5% para 6%, o que corresponde a uma variação de 9%. Apesar da ligeira quebra, a SIC superou em um ponto os objectivos fixados para 1999, os quais tinham em vista um share de 47%. Relativamente á análise das audiências entre Novembro e Dezembro de 1999, a SIC verificou uma quebra de 0,4%, a RTP1 desceu 3,8% e a RTP2, 1,6%. A única estação que, ao nível global, viu crescer o seu share entre Novembro e Dezembro de 1999 foi a TVI, com uma subida de 7%. Esta estação conseguiu melhorar os resultados principalmente no horário nobre (das 20 ás 22 horas), onde registou uma subida de 14,5% de share, de Novembro para Dezembro. No entanto, neste segmento, em Dezembro a SIC liderou com 51,6% de share, apesar de ter descido 0,4% face a Novembro. Segue-se-lhe a RTP1, com um share de 29% (baixou 4,9%), a TVI, com um share de 14,2% (apesar da variação positiva de 14,5%) e a RTP2, que está na cauda com 5,2% de share, registando uma quebra de 1,9%. Na faixa horária precedente, das 18 ás 20 horas, a TVI também se salientou, com uma subida de 13,2%. O share de Dezembro foi de 17,2%, contra 49,9% da SIC (que baixou 1% em relação ao mês anterior) e 26,3% da RTP1 (que desceu 4,4%). A RTP2 viu igualmente descer o share em 4,4%, conquistando 6,6% de share em Dezembro. Outra oscilação significativa em termos horários foi a variação positiva da RTP1 entre as 14 e as 18 horas. A estação estatal registou, em Dezembro, um share de 23,3% nesse período, o que corresponde a uma relevante subida de 10,4% face ao mês anterior.

Deixe aqui o seu comentário