Nomadismo Digital: “Estás sempre de férias”

Por a 9 de Agosto de 2019

SofiaDesde que optei por este estilo de vida o “estás sempre de férias!” é possivelmente das frases que mais escuto! Como se realmente passasse os dias a olhar para o ar, a beber cocktails junto à piscina (ou da praia – há sempre variações) e a ser abanada com folhas de palmeira, por gostosões musculados!

Parece que há dificuldade em entender que uma vez freelancer, o botão de “desligar” não existe mais. Isto, porque, sim, a grande maioria dos nómadas digitais é muitas vezes freelancer. Mas mesmo para os outros, a coisa funciona igual. Afinal, que chefia vai manter um trabalhador que, efectivamente, não trabalhe ou não apresente resultados?!

Nesse sentido, tudo o que fazemos é medido e acompanhado. E, acreditem, hoje em dia existem um sem fim de apps que permitem a um empregador fazer este tipo de acompanhamento. Simultaneamente, também nos são pedidos resultados e explicações. Além disso, como nómadas temos ainda de nos preocupar com outras coisas, como conseguir mais clientes.  Ou tratar de burocracias sem fim, assim como questões financeiras, desse a nossa própria reforma, passando pelos descontos ou até a assegurar que aquele cliente que sempre “se esquece de pagar”, nos paga.

No fundo, a coisa é simples: se não trabalhamos, o dinheiro não entra. Se não nos mexemos, novos clientes não chegam. Se não entregamos um bom trabalho, os clientes não se mantêm. Sim, porque sendo freelancer a facilidade de “ser deixada” ou trocada por quem faz mais barato (ou melhor) é ainda maior do que a um trabalhador com contrato.

Isso, explica também a razão pela qual isto de ser nómada digital não é de facto para todos. E não o digo de forma crítica. Aliás, compreendo perfeitamente, que sabe bem a segurança de um trabalho estável, com ordenado certinho ao fim do mês. No final do dia, todos temos contas para pagar, certo?

Agora vou só ali dar um mergulho na praia de Ipanema e já volto!

Artigo de Sofia Macedo (Sofiamacedo.com). Sofia Macedo tem partilhado com os leitores do M&P a sua experiência como nómada digital.

 

Deixe aqui o seu comentário