Emissão obrigacionista da SIC rende 51 milhões de euros

Por a 5 de Julho de 2019
Francisco Pedro Balsemão, CEO da Impresa

Francisco Pedro Balsemão, CEO da Impresa

A emissão obrigacionista da SIC junto do mercado retalhista, que inicialmente apontava aos 30 milhões de euros, acabou por permitir à estação detida pela Impresa captar 51 milhões de euros subscritos por 10.426 investidores. O valor da oferta acabaria por ser aumentado, justificou esta sexta-feira na apresentação de resultados o grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão, devido à elevada procura já que, dois dias após o lançamento da operação, se registava uma ordem de subscrições a rondar os 86,5 milhões de euros. Concluída a operação, a procura bruta terá ficado próxima da fasquia dos 202 milhões de euros.

A emissão de dívida, recorde-se, estipulava que o investimento base fosse de 1500 euros para um mínimo de 50 obrigações. Do total de 10.426 investidores que subscreveram obrigações da SIC para o triénio de 2019-2022, a grande maioria (48%) investiu entre 1.500 e 3.000 euros, 30% a optarem por alocar entre 3.030 euros e 9.990 euros e mais 14% que decidiram investir entre 10.020 euros e 49.980 euros. Houve ainda um lote de 30 investidores (8%) com uma subscrição de obrigações em montantes acima da fasquia dos 50 mil euros.

As obrigações emitidas pela SIC serão liquidadas no próximo dia 10 de Julho, tendo uma maturidade a três anos, com reembolso no dia 11 de Julho de 2022 e uma taxa de juro nominal bruta de 4,5% ao ano. Segundo a empresa, a taxa de juro líquida de impostos é de 3,26%. O objectivo da operação, referia a SIC aquando do anúncio da emissão obrigacionista, passava por “diversificar as fontes de financiamento e alargar a maturidade média da dívida” da empresa.

Deixe aqui o seu comentário