João Vieira Pereira sobe a director do Expresso (act.)

Por a 28 de Março de 2019

JVPAté aqui director-adjunto do Expresso, João Vieira Pereira será agora o novo director do semanário da Impresa, substituindo Pedro Santos Guerreiro. A nomeação terá sido decidida esta quinta-feira de manhã pela administração do grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão e foi entretanto comunicada esta tarde ao Conselho de Redacção. João Vieira Pereira, que era adjunto da direcção até à última semana encabeçada por Pedro Santos Guerreiro, terá ao seu lado outros três elementos que transitam da anterior estrutura de direcção: Martim Silva, que era até agora director executivo e passa a director adjunto, Miguel Cadete e Marco Grieco, que eram, respectivamente, director-adjunto e director de arte e mantêm os cargos.

As soluções da casa predominam com a integração na direcção também de Paula Santos, até aqui editora-executiva. A única excepção é David Dinis, que nos últimos anos foi director do Público, da TSF e do Observador e que integra o semanário da Impresa como director-adjunto.  O até agora director-adjunto e novo director do Expresso está no semanário desde 2006 e tinha actualmente também responsabilidade sobre a área de Economia, tendo também sido director da revista Exame, entretanto alienada ao grupo Trust in News. Do seu percurso fazem também parte o Jornal de Negócios e o Semanário Económico, onde desempenhou também funções como director.

Também na SIC há mudanças na direcção. Ricardo Costa (director), José Gomes Ferreira (director-adjunto), Bernardo Ferrão e Pedro Cruz (sub-directores) mantêm-se em funções, agora também com Marta Brito dos Reis como sub-directora. A profissional entrou na SIC em 2000, tendo integrado a equipa fundadora da SIC Notícias. Actualmente é também coordenadora do Jornal da Noite e responsável pelo planeamento e gestão dos formatos longos da informação da SIC.

Em comunicado emitido pela Impresa esta quinta-feira à tarde, o grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão refere que a nova estrutura directiva do Expresso e da SIC visa “uma maior aproximação das duas redacções, nomeadamente nas suas operações digitais”. “No Expresso, os objectivos passam por cimentar a liderança como jornal mais vendido em Portugal nas diferentes plataformas, acelerando a sua transformação digital. Na SIC, as finalidades passam por solidificar a liderança conquistada pelos espaços de informação da estação, manter a capacidade de renovação da SIC Notícias e aumentar a capacidade de distribuição digital dos seus conteúdos”, pode ler-se no mesmo comunicado.

As mudanças, recorde-se, foram desencadeadas na sequência da saída de Pedro Santos Guerreiro, director do Expresso desde 2016 depois de em 2014 ter integrado o título como director executivo, que deixou a direcção do semanário da Impresa na última semana, tendo o cargo passado a ser assumido, de forma interina, por Ricardo Costa, director-geral de informação. “Esta mudança acontece na sequência da decisão tomada entre a administração do grupo Impresa e Pedro Santos Guerreiro, que deixa assim o cargo de director do Expresso”, informava então o grupo em comunicado, onde se referia que “Pedro Santos Guerreiro manterá uma ligação com o jornal, como colunista”.

A saída de Pedro Santos Guerreiro da direcção surgiu um dia após ter sido avançada pelo jornal Público a demissão de Vítor Matos, editor de Política do Expresso, situação que o Conselho de Redacção do semanário da Impresa analisaria esta quinta-feira de manhã. Em causa terá estado a atribuição de um texto da newsletter matinal Expresso Curto a Vítor Matos depois de ter sido produzida por outros jornalistas a pedido de Pedro Santos Guerreiro na sequência de um esquecimento do editor. Vítor Matos estava no Expresso há cerca de um ano. Antes, foi também editor de política no Observador.

Deixe aqui o seu comentário