Impresa reorganiza Comissão Executiva com saída de José Freire e Rogério Canhoto

Por a 20 de Fevereiro de 2019

impresa fachadaPaulo Reis, até aqui director administrativo e financeiro da Impresa, e Cristina Vaz Tomé, que foi administradora da RTP com o pelouro financeiro até 2018, substituem José Freire e Rogério Canhoto, que estão de saída do grupo. Os dois profissionais estavam em funções desde 2016, altura em que José Freire, no grupo há 19 anos com cargos de direcção de investor relations, planeamento estratégico e como COO, assumiu o cargo de CFO, enquanto Rogério Canhoto iniciou funções como chief revenue officer, com responsabilidades transversais sobre as receitas do grupo. “A Impresa deseja felicidades a José Freire e a Rogério Canhoto, nestas suas novas fases profissionais e pessoais, agradecendo o seu empenho e profissionalismo”, refere apenas o comunicado emitido pela Impresa, sem apontar os motivos da saída que, sabe o M&P, terá chegado a termos por mútuo acordo no caso de José Freire, tendo Rogério Canhoto recebido uma proposta para outro projecto profissional.

“Com a concentração das nossas instalações em Paço de Arcos, entre outras mudanças recentes na Impresa, foi decidido proceder-se à renovação da Comissão Executiva do grupo”, explica Francisco Pedro Balsemão, num comunicado interno a que o M&P teve acesso, onde o CEO da Impresa informa os colaboradores que “no final do mês, tanto José Freire, actual chief financial officer (CFO), como Rogério Canhoto, chief revenue officer (CRO), deixarão de exercer funções enquanto administradores executivos”. As saídas juntam-se à de Raul Carvalho das Neves, que em Junho do último ano cessou funções como chief technological officer do grupo.

A partir do próximo mês de Março, Paulo Reis, actual director administrativo e financeiro da Impresa, onde está desde 2009, assumirá o cargo de chief financial officer (CFO), substituindo José Freire, naquela que é considerada por Francisco Pedro Balsemão “uma sucessão natural, já que Paulo Reis tem demonstrado, desde que entrou em 2009 no grupo, a sua robustez técnica e o domínio sobre vários dossiers prioritários e exigentes, características que, aliadas ao seu brio e lealdade, fazem dele a escolha certa para o cargo de CFO”.

Já as funções até aqui desempenhadas por Rogério Canhoto serão agora asseguradas por Cristina Vaz Tomé, que assumirá o cargo de chief revenue officer do grupo, contratação que Francisco Pedro Balsemão destaca por a profissional “ter experiência de gestão de topo na área dos media, pelo facto de ter sido administradora da RTP entre 2015 e 2018”, com responsabilidades sobre o pelouro financeiro.

Além destes dois cargos, para as funções de chief legal officer foi nomeado Nuno Conde, na Impresa desde 2016 como director de assuntos jurídicos e que, nas palavras do CEO, “tem demonstrado uma visão estratégica dos desafios do grupo e será uma mais-valia para a futura equipa de gestão, pela segurança que traz a temas difíceis e pela forma intransigente como defende os valores da Impresa”. Antes de integrar o grupo, Nuno Conde foi consultor jurídico do grupo Media Capital e da RTP, bem como assessor jurídico do Gabinete para os Meios de Comunicação Social (1996/2014).

“Estes três novos administradores, que aproveito para felicitar, representam uma aposta para o futuro, sustentável e a longo prazo, e incorporam os valores que nos definem”, afirma Francisco Pedro Balsemão, adiantando, no comunicado interno, que  será aproveitado “este movimento para redistribuir alguns pelouros e reorganizar algumas áreas, devendo o novo organigrama ser anunciado em breve”.

Deixe aqui o seu comentário