Marketing territorial como solução para o crescimento do interior

Por a 7 de Dezembro de 2018
Hugo Ribeiro, director-executivo da HBR

Hugo Ribeiro, director-executivo da HBR

Num mundo cada vez mais competitivo, marcado pela forte concorrência entre empresas e territórios, o marketing territorial assume-se como uma importante ferramenta de trabalho no planeamento estratégico das regiões, sejam metrópoles ou zonas rurais. Contribuindo para o desenvolvimento de regiões com necessidades específicas, como é o caso do interior de Portugal.
Esta é uma das soluções, principalmente se olharmos para o interior do país, onde a densidade populacional é baixa, o tecido empresarial é composto maioritariamente por microempresas, e as infra-estruturas existentes não são suficientes ou estão mal aproveitadas.
Com o objectivo de impulsionar uma região, o marketing territorial assume um papel importante de modo a fixar a população, atrair mais turistas e fomentar o crescimento económico local. Para tal, é fundamental seguir alguns passos.
1) Fazer uma análise cuidada do meio envolvente:
2) Delinear uma estratégia de acordo com o foco;
3) Desenvolver um plano que reflicta a análise e a estratégia;
4) Implementar o plano estratégico.
A aposta no marketing territorial começa por uma análise onde se identifiquem as mais-valias da região, os aspectos de maior potencial, o que a diferencia dos meios envolventes, mas também as maiores lacunas, que podem dar origem a novas infra-estruturas e à criação de emprego. Conhecendo melhor o território, as suas pessoas e as suas necessidades, pensar estrategicamente nos objectivos que pretendem atingir e, de seguida, partir para o planeamento de acção.
Esta é talvez a fase mais complexa pois agrega os dois pontos anteriores e serve de guião para o investimento que se vai realizar e para as medidas a implementar. Exige criatividade, preparar as bases necessárias – mesmo que se trate de criar novas infraestruturas que alicercem as ideias desenvolvidas, definir novos eventos, potenciar as atracções já existentes, e encontrar os parceiros ideais para atingir os objectivos propostos. Por último, colocar em prática todo o planeamento estratégico desenvolvido, sem descurar na importância da comunicação e da presença nos meios de comunidades de forma a contribuir para dar visibilidade ao trabalho implementado.
Ponte de Sor, cidade do Alto Alentejo, é hoje reconhecida a nível internacional pelo cluster aeronáutico. Dotada de um aeródromo e um campus universitário, Ponte de Sor apostou num sector que representa, actualmente, 1,5 por cento do PIB em Portugal. Além da formação de pilotos e profissionais portugueses e estrangeiros, o cluster é responsável pela criação de postos de trabalho e alberga várias empresas e entidades de relevo no sector.
Pegando neste caso de sucesso, o processo passa por identificar o potencial, definir o objectivo e delinear o caminho a seguir. São estes os principais passos para alcançar resultados, sem nunca descurar os ex-libris da região, o que já conseguiram e desejam conquistar e, acima de tudo, as pessoas. O marketing territorial é a ferramenta adequada para atingir o objectivo de promover e desenvolver a região, através de um planeamento bem preparado e que se adeque às necessidades e às possibilidades do território.

Artigo de opinião de Hugo Ribeiro, director-executivo da HBR

Deixe aqui o seu comentário