WPP vê acções caírem 20% na sequência de terceiro trimestre “difícil”

Por a 26 de Outubro de 2018

Mark Read“Difícil” foi a palavra escolhida por Mark Read, CEO do grupo WPP, para descrever o terceiro trimestre da empresa, que registou uma quebra de 0,8% nos resultados líquidos e um recuo de 1,5% no volume de vendas. “Obviamente não esperávamos que as agências piorassem no terceiro trimestre desta forma”, admitiu o executivo que assumiu o lugar de Martin Sorrell, atribuindo o resultado desanimador sobretudo ao desempenho das agências criativas do grupo no mercado norte-americano, além da perda de contas globais como foi o caso recente da Ford, além de contas de media como HSBC, GSK ou American Express.

Os analistas consideram os resultados preocupantes já que as outras três principais holdings registaram resultados em alta ao nível das receitas, com o grupo Omnicom a crescer 2,9%, a Publicis a subir 1,3% e o grupo Interpublic a registar um crescimento na ordem dos 5,4%.

Na sequência destes resultados, divulgados esta quinta-feira, o grupo WPP viu as suas acções caírem 20%, a pior quebra da holding em bolsa desde 2012, acordando esta sexta-feira sem o estatuto de maior grupo de comunicação do mundo, que pertence hoje ao Omnicom Media Group. Os resultados originaram já também a primeira baixa: Paul Richardson, director financeiro do grupo, estará de saída em 2019, anunciou a holding.

Deixe aqui o seu comentário