Observador poderá lançar uma rádio de informação

Por a 23 de Outubro de 2018
Rudolf Gruner, director-geral do Observador

Rudolf Gruner, director-geral do Observador

O Observador poderá estar a preparar o lançamento de uma rádio. A avançar, e ao que o M&P apurou, será uma rádio de informação, emitida em digital mas também em FM, provavelmente com uma frequência em Lisboa e outra no Porto. A contratação, em Setembro, de Ricardo Conceição (até então editor da Renascença) para editor-executivo é apontada como um passo na constituição da equipa e o facto de, com excepção do mês de Agosto, o investimento publicitário estar a crescer no meio rádio, bem a como a queda de audiências da TSF, podem constituir-se como oportunidades, segundo as fontes ouvidas pelo M&P.

A notícia não é confirmada pelo Rudolf Gruner que, em concreto sobre o lançamento da rádio, afirma apenas que “não é verdade que tenhamos adquirido frequências de rádio, aliás qualquer projeto novo do Observador terá sempre uma base digital que está no nosso DNA”.

No entanto, diz também o director-geral do nativo digital, “queremos naturalmente continuar a crescer e evoluir, pelo que estamos permanentemente a analisar e avaliar oportunidades também em novos meios da comunicação social”.

Também em Julho, em conversa com o M&P, e quando questionado sobre se a operação já seria sustentável este ano, Rudolf Gruner respondeu “o nosso plano, desde o início, era 2019. E todos os anos nos aproximamos mais desse objectivo. Provavelmente vamos fazer mais alguns investimentos em áreas novas, fizemos a Maag em Fevereiro. Dependendo de como avançarem esses investimentos podemos vir a adiar um ano o break even, mas com um modelo de negócio maior, mais receitas e custos. Mas continuamos firmemente a acreditar que se não for 2019 é 2020”.

Entretanto, de acordo com o Portal de Justiça, no Verão existiram três operações de aumento de capital, que no total totalizam cerca de 1 milhão de euros. “O que mudou, de 2014 para hoje, foi o business plan, tem mais custos e mais receitas. O investimento permite suportar o aumento de actividade e o crescimento também para outras áreas”, explica Rudolf Gruner.

“O Observador é um projeto de sucesso e uma marca forte, 4 anos depois do lançamento. Já temos mais de 6M de visitantes únicos mensais, o maior tempo de visita dos jornais digitais e antes do Verão entrámos nas subscrições com um modelo freemium que tem tido uma resposta muito positiva do mercado e dos nossos leitores. Não esquecendo o prémio de melhor jornal generalista do M&P que ganhámos este ano, foi a primeira vez que ganhou um jornal só digital”, começou por enumerar hoje, no comentário oficial à questão do M&P Rudolf Gruner.

Até ao final do ano, o Observador vai deixar a Rua Luz Soriano, no Bairro Alto, e mudar-se para as novas instalações, no bairro de Alvalade.

 

 

Deixe aqui o seu comentário