Empresas de comunicação social de Moçambique querem fim à limitação de estrangeiros

Por a 14 de Setembro de 2018

MozA Associação das Empresas Jornalísticas de Moçambique (AEJ) defende o fim da imposição legal de 20 por cento ao investimento estrangeiro na comunicação social, considerando que essa limitação impede as firmas do sector de aceder à capitalização, de acordo com a agência Lusa.
“Essa limitação não faz nenhum sentido, porque a comunicação social também é um negócio, como a construção civil, agricultura, turismo, indústria mineira e outras, que não estão sujeitas a essa imposição”, disse Fernando Lima à Lusa, presidente da Mediacoop, um grupo de comunicação social e membro da AEJ. Para o responsável, a persistência dessa barreira coloca as empresas de comunicação social num estado de debilidade económica, pois não podem receber a injecção financeira necessária à viabilidade da actividade.

Deixe aqui o seu comentário