São estes os nomeados para os Prémios M&P 2018

Por a 14 de Agosto de 2018

BaseCapa Alta 2018 RC_webA escolha dos nomeados para a 16ª edição dos Prémios Meios & Publicidade esteve a cargo da redacção do M&P. Para se chegar a esta lista de nomeados, foi pedida informação complementar a cerca de 50 empresas e analisados dados MediaMonitor, APCT, Bareme Imprensa, Bareme Rádio, NetAudience, audiências TV e Publivaga. Foram ainda tidos em conta dos resultados dos Prémios Marketing M&P, Prémios Comunicação M&P, Prémios Criatividade M&P, Prémios Design M&P, Festival do Clube de Criativos, Prémios à Eficácia e Prémios Sapo. Período de análise: Julho de 2017 a Julho de 2018. Os vencedores serão conhecidos no fim de Setembro. As votações arrancam em breve.

Agência Criativa
BAR Ogilvy
Foi um ano de grandes mudanças. A BAR foi comprada pela WPP, que a fundiu com Ogilvy. A equipa da antiga BAR fica a liderar a nova estrutura, a BAR Ogilvy, que atingiu a sexta posição do ranking MediaMonitor entre Janeiro e Junho de 2018. Perdeu a conta da Sagres mas ganhou Iberdrola, Unitel Cabo Verde, Groupama e o rebranding da marca Madeira. Nos Prémios Marketing M&P não só conquistou o Grande Prémio como foi eleita Agência Criativa do Ano, graças a projectos para Sagres, TAP, Millennium BCP, CUF, Nowo e Banana da Madeira.

Fuel
A agência número dois em 2017 no ranking MediaMonitor (em terceiro lugar no primeiro semestre deste ano) viu mudar os protagonistas da agência. A gestão está agora com João Ribeiro e a criatividade com Jorge Teixeira. No período em análise, a agência passou a ter como novos clientes a SAS – Sociedade de Apostas Sociais e a CP – Comboios de Portugal. Criou e lançou marcas como Placard.pt, BabyWells e o parque infantil da Sonae Sierra Gran Aventura (Saragoça, Espanha). Venceu o Grande Prémio nos Prémios Comunicação M&P 2017, com o case Sequeira no Lugar Certo (MNAA). Destaque ainda para as distinções que obteve no CCP e nos Prémios Criatividade M&P com O Primeiro WhatsApp Bar do Mundo, criado para a Jameson.

Havas Worldwide
Continua na primeira posição do ranking MediaMonitor. Conseguiu segurar a conta da NOS, que esteve num concurso disputado também pela BBDO e pela Young & Rubicam. A NOS foi o terceiro maior investidor em publicidade em 2017, a preços de tabela, depois da Unilever-JM e da Altice. No festival do Clube de Criativos obteve o prémio para Melhor Agência em Projecto Integrado, graças a trabalho desenvolvido para a NOS. Os filmes Número do Pai Natal e Uber ou Mamã para a NOS receberam ouro no CCP.

J. Walter Thompson
Ganhou uma das contas com maior visibilidade no mercado, a da Sagres. Somou à lista de clientes a Gira (bicicletas da EMEL), o Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050, para o Ministério do Ambiente/APA, o Sustain Azores Consulting, a Associação de Turismo de Cascais, Teleperformance e a Nestlé – Cereais Estrelitas e Chocolates. Foi eleita Melhor Agência de Eventos e Activação no festival do Clube de Criativos com Mesas Bohemia, projecto também distinguido nos Prémios Criatividade M&P. Para a Reunião Anual de Colaboradores da Vodafone criou o primeiro bot de voz em português construído com tecnologia AI do Google Assistant. Desenvolveu as Extraordinárias Vending Machines para a KitKat. Ocupa a quarta posição no ranking MediaMonitor.

O Escritório
Subiu 16 posições no ranking das agências de publicidade, segundo o MediaMonitor, ocupando agora o 12º lugar (comparação primeiro semestre de 2017 e de 2018). Começou a trabalhar o Montepio, com a campanha de reposicionamento “O que era feito do amarelo?” Conquistou Lidl, PlayStation e Carris. Para a Super Bock desenvolveu campanhas com boa visibilidade, dedicadas aos defeitos dos amigos. Venceu o concurso para a campanha de patrocínio da Galp ao Mundial 2018. Lançou a campanha para promover o novo Red Pass 2017/18, o bilhete de época para sócios do Benfica, recorrendo ao “caso dos e-mails”. Resultado: os filmes foram vistos mais de 2,7 milhões de vezes.

Partners
Terminou 2017 em quinto lugar do ranking MediaMonitor, tendo somado vários prémios, como Agência de Publicidade do Ano no CCP e Agência do Ano nos Prémios Criatividade M&P. O projecto Can’t Skip Portugal acumulou o Grande Prémio no CCP e nos Prémios Criatividade M&P. Para Turismo de Portugal tem desenvolvido várias campanhas estratégicas como a da onda gigante da Nazaré em Times Square ou a de apoio ao turismo na região Centro a seguir aos incêndios. Assinou o lançamento da caixa de TV The One para Altice nos EUA, que passou no intervalo do Super Bowl. A campanha Sophia para o Meo levou a empresa ao primeiro lugar no índice de recordação genérica (Publivaga). O projecto solidário Árvore da Esperança contou com o apoio do Presidente da República.

Y&R Lisboa
Passou a trabalhar a Caixa Geral de Depósitos, Um Bongo, BMW, Imovirtual, Turismo da Madeira, Entreposto 50 anos, Global Media (tendo assinado a campanha de relançamento do Diário de Notícias), UCI Cinemas e Caravela Seguros. A Y&R Lisboa tem sido chamada com frequência para task forces criativas para clientes da network, como é o caso da farmacêutica Sanofi e da Fromageries Bel. Obteve o Grande Prémio nos Prémios à Eficácia 2017 com Vacas Felizes da Terra Nostra. Ocupa a segunda posição do MediaMonitor, referente ao primeiro semestre deste ano. No total de 2017 ficou em terceiro lugar.

Agência de Meios
Arena Media
Ocupou a terceira posição no ranking MediaMonitor 2017, descendo para a quinta posição no acumulado do primeiro semestre de 2018. Os clientes Continente, NOS e Worten estão entre as marcas com maior exposição em termos publicitários. A agência somou ainda, como clientes, a ADENE, Affinity, Delta Cafés, Deeply, Skinerie, Pump ou Federação Portuguesa de Futebol. Activação do patrocínio do Santander à Volta a Portugal em Bicicleta. Projectos de branded entertainment para Continente, Wells Optica, Cartão Universo, CP ou AXN.

Initiative
Agência de Meios do Ano dos Prémios Marketing M&P 2017, tendo sido distinguida por trabalhos para clientes como Millennium BCP, Magnum, Axe ou TRESemmé. Agência de Meios do Ano 2017 dos Prémios à Eficácia. Ganhou os clientes Lego, Cepsa, Wall Street English, Aveleda, SAS – Placard.pt, Leaseplan, Farmodiética, Libifeme. Ficou no quarto lugar no total de 2017 (ranking MediaMonitor), tendo entre Janeiro e Junho de 2018 subido ao terceiro posto, muito próximo do número dois. É a agência de meios que mais investe em outdoor.

Nova Expressão
Passou a ter como clientes a Sovena, Colchonet, Associação de Promoção da Madeira, IMT, Exposição Escher, Parques de Sintra, Deutsche Bank, Lycamobile, Randstad, Coldwell Banker e Netflix (publicidade exterior). A agência esteve ainda ligada ao lançamento da marca DriveNow (BMW/Brisa). Fez a campanha internacional do Turismo da Madeira e o rebranding da antiga CUF Química, agora Bondalti. Trabalhou ainda a activação da Volta a Portugal em Bicicleta. No ranking MediaMonitor terminou o primeiro semestre de 2018 em 13º lugar, a mesma posição do total 2017. É a terceira agência de meios que mais investe em imprensa.

OMD
Ocupa o primeiro lugar no ranking MediaMonitor, tanto no total de 2017, como no primeiro semestre de 2018. É a agência líder no investimento em televisão e digital. Foi a única agência de meios portuguesa em shortlist no Festival of Media Global, tanto em 2017 como em 2018. Venceu o Grande Prémios nos Prémios à Eficácia 2017, com Vacas Felizes para Terra Nostra.

PHD
Apesar de estar na 11ª posição, tem tido um crescimento assinável no ranking MediaMonitor. No primeiro semestre de 2018 teve uma exposição publicitária, de acordo com dados MediaMonitor, superior ao total de 2016. O new business tem ajudado ao desempenho. Ganhou as contas da CGD, Associação de Turismo de Cascais, ISEG-IDEFE, Cobertura Imobiliária, Valormed e Vila do Conde Porto Fashion Outlet. Reteve a conta do Minipreço.

Wavemaker
No início do ano nasceu a Wavemaker, resultado da fusão de agências de meios do grupo WPP MEC e Maxus. Se a MEC ficou em segundo lugar no ranking MediaMonitor 2017, a nova agência consolidou a posição no acumulado Janeiro e Junho de 2018. Nos últimos 12 meses ganhou a Associação Mutualista Montepio, Color Baby, Huawei, Seguradora Caravela e Sun&Vegs, reteve ainda a Henkel e Momondo. Agência de Meios do Ano nos Prémios Sapo. Destaque para as campanhas para NiveaQ10, Pescanova e Schwarzkopf com influenciadores e celebridades, a promoção da música Bella Ciao associada ao Netflix ou Leroy Merlin no projecto #MãosàObra para inspirar nas redes sociais. É a agência que mais investe no meio rádio.

Produtoras de Publicidade
Garage
Produziu duas das mais badaladas campanhas deste Verão: Galp no Mundial 2018 e os defeitos dos amigos da Super Bock. Nos Prémios Criatividade M&P obteve ouro com Luna (Tud Dret) e Mar (Super Bock Group). Assinou ainda filmes para Placard.pt, Associação Salvador, Leroy Merlin, Vodafone, Lidl, EDP, Agros, PT Empresas, SportZone ou Turismo da Madeira.

Krypton
Os seus realizadores continuam a dar cartas lá fora. Pedro Pinto filmou para Google e para a cerveja russa Baltika. Augusto Fraga realizou para marcas como Nokia, Nivea, Asics, Beko, American Tourister ou Samsung. Cá dentro destaque para as campanhas para McDonald’s, Sagres, Caixa Geral de Depósitos, Nespresso (o primeiro da marca em Portugal), Worten, Compal, Banco CTT e Vodafone, incluindo o emotivo filme de Natal.

Ministério dos Filmes
Eleita Melhor Produtora de Imagem no Clube de Criativos graças a filmes para Super Bock e NOS. Fez a campanha de Natal da NOS e do Meo, a par da campanha da Altice USA com Cristiano Ronaldo que estreou durante o Super Bowl. Para as duas operadoras de telecomunicações produziu ainda a campanha do Meo para o Mundial e A Minha Casinha é Giga para NOS.

Show Off
Assinou o filme do festival Neopop, que se revelou um sucesso nas redes sociais, o Regresso às Aulas Continente e Noiva em Fuga para o Placard. Começou a trabalhar com O Escritório, assegurando filmes para Wook, Lidl e Benfica. Lançou o TSSSFF – The Stupidest Shortiest Short Film Festival, para escolher o melhor guião que depois será produzido pela Show Off. Colaborou com Hi Portugal para a Fox, que viria a ganhar o prémio principal nos Prémios M&P Criatividade em Autopromoções.

Story
O filme Can’t Skip Us, da agência Partners para o Turismo de Portugal, foi realizado por Pedro Varela e produzido pela Story Lisboa. A Story viu esta produção receber grandes prémios, tanto no festival do Clube de Criativos como nos Prémios Criatividade M&P 2018. Assinou ainda filmes para Carris, Lidl e a campanha “O que era feito do amarelo” do Montepio.

Produtora de Som
DMix Música
Fez o sound design do multipremiado Can’t Skip Us do Turismo de Portugal e campanhas publicitárias ou de sound logo para APAV, Festival Política, Pingo Doce, Delta Q, Nespresso, Compal, Microsoft, Millennium BCP, Montepio, VW Corporate e EDP. Tem ainda como cliente a Fox, com quem trabalha as autopromoções. O projecto Hi Portugal da Fox venceu o grande prémio dos Prémios M&P Criatividade em Autopromoções.

Índigo
Desenvolveu projectos de audio branding para Fundação Francisco Manuel dos Santos, Haliotis, Galp e NOS. Fez a sonorização e criação de música original para campanhas das marcas Continente, Worten, Staples, Millennium BCP, Aki, Minipreço, CIN, Liga NOS, Novo Banco, Banco Popular e Crédito Agrícola. Com o trabalho desenvolvido para a Chronopost, a Rádio Red, ganhou o prémio de Melhor Ideia Internacional de Comunicação Interna da empresa.

Núcleo
Pela primeira vez em 2018 a Núcleo, formada por Fred Pinto Ferreira e Alberto Vieira, conquistou no Festival do Clube de Criativos o título de Produtora de Som do Ano. Os prémios do CCP evidenciaram o trabalho feito para a WTF Uber ou Mamã?, mas a Núcleo já colaborou com o Turismo de Portugal, El Corte Inglés e Médis, aqui com a música com a participação dos Cais Sodré Funk Connection.

Empresa de Publicidade Out-of-Home
dreamMedia
Ganhou uma nova concessão de outdoors em Portugal, desta vez juntando Figueira da Foz ao seu portfólio. No entanto, nos últimos meses, é pela participação no maior concurso público de publicidade exterior em Portugal que tem sido notícia. O relatório preliminar do júri do concurso, que dava a proposta liderada pela MOP como vencedora global, colocava a proposta da dreamMedia como vencedora do lote 2, correspondendo aos suportes digitais da cidade de Lisboa. A dreamMedia avançou com uma providência cautelar para impugnar o resultado final do concurso, que atribuiu à concessão à JCDecaux.

JCDecaux
É a líder destacada do sector em termos de investimento publicitário a preços de tabela, de acordo com o ranking MediaMonitor. A Câmara Municipal de Lisboa adjudicou à empresa a concessão da publicidade exterior da capital por 15 anos (até aqui repartidos pela JCDecaux e pela Cemusa), o que ajudará a empresa a definir-se como a maior empresa de exterior do mercado. A JCDecaux assegura que a nova oferta de suportes publicitários de Lisboa ficará ao nível de Londres ou Nova Iorque.

MOP
Foi um ano de emoções fortes para aquela que é a segunda empresa de publicidade exterior, de acordo com dados MediaMonitor. Em Julho de 2017 era conhecido que o júri do concurso de Lisboa considerava a proposta liderada por Vasco Perestrelo como a mais bem posicionada a vencer o concurso. Após contestação dos concorrentes, a MOP foi excluída do concurso. No início do Verão deste ano a Câmara Municipal de Lisboa informava formalmente da decisão de adjudicar os suportes de publicidade exterior à JCDecaux. A MOP lançou ainda em Lisboa e Porto a Rede 4Plus (painéis 4×1,5m).

Agência de Design
Silvadesigners
Continua a dar cartas no design editorial. Assinou o grafismo das revistas Observador Lifestyle, do número de aniversário do Observador e da recente Prima (Trust in News). Continua a trabalhar o jornal do MAAT, a par da Blimunda da Fundação José Saramago, da revista Património (DGPC), da Adufe (Idanha) ou da Agenda Cultural de Lisboa. Desenvolveu a nova imagem do Passaporte Português, a par de trabalhos para a Gulbenkian e EGEAC. Criou a marca Museu do Megalitismo e a primeira edição do Prémio Arte em Papel da Navigator.

Solid Dogma
Agência de Design do Ano nos Prémios Design M&P e no festival do Clube de Criativos com trabalho para o festival Iminente, Compulsive Contents, Lisbon Week e JNCQUOI. A agência fez a campanha de lançamento da cerveja Coruja, com uma linha de comunicação assente na arte urbana, criou a identidade do Hub Criativo do Beato, do festival Vivarium, da apresentação do MARCC – Museu de Arte Urbana de Cascais, a par dos filmes da Web Summit 2017 e das Estoril Conferences (Estamos todos no mesmo barco).

Y&R Branding
Voltou a ser escolhida pela UEFA desta vez para criar a imagem da nova prova que arranca em Setembro de 2018. Em Setembro foi apresentada a marca UEFA Nations League e a identidade visual e materiais de broadcast dos Qualifiers do FIBA Basketball Worldcup China 2019. Desenvolveu a nova marca e identidade visual da Médis. O projecto Liga das Nações recebeu o grande prémio nos Prémios Design M&P.

Agência de Comunicação
Central de Informação
A Internacional Public Relations Network (IPRN), da qual a agência faz parte, escolheu como projecto do ano o festival We Rock Fest, implementado pela Central de Informação, que decorreu em várias cidades de Portugal e Espanha para assinalar o processo de aquisição da espanhola Azkar pela empresa de logística alemã Dachser. Ganhou a organização do encontro mundial da IPRN em 2020 em Lisboa. Organizou a convenção de Agentes Vodafone, o lançamento da Mobinov – Cluster Automóvel de Portugal e a Gala Travelport para 800 convidados. Desenvolveu conteúdos digitais para E.Life, Teatro Nacional São João, Vodafone, Travelport e Guimarães Mais Verde.

Cunha Vaz & Associados
Desenvolveu projectos para Pepsico, Google, Amazon, Microsoft, CGD, Autoridade Tributária, Nelson Mandela Tribute e UIA (Union Internacional des Avocats). Passou a trabalhar a EBFS – Associação Portuguesa das Empresas de Títulos Extrassalariais, ASFAC – Associação de Instituições de Crédito Especializado, Attestor Capital, BlackRock, PIMCO, CQS e KKR, que actuam na área da gestão de activos financeiros, a par do grupo Portugália (institucional) e dos STCP.

Llorente & Cuenca
Começou a trabalhar Abanca, ADENE, Endesa (B2B), Gallo Worldwide (comunicação de produto), JLL, Kronos Homes, Louvre Properties, Natixis e Sky Television (employeer branding). Tem apresentado vários estudos que ajudam a conhecer a realidade do mercado da comunicação em Portugal, como foi o caso de um estudo sobre consumer engagement, o M&A Communications Monitor 2017 sobre o papel da comunicação nas fusões e aquisições de empresas ou o Jovens Líderes em Portugal, Espanha e América Latina. Destaque também para o trabalho para o Mercadona que, mesmo antes de abrir o primeiro supermercado em Portugal, tem tido uma boa exposição mediática.

M Public Relations
Ganhou em concurso as contas da Galp e da Fundação Calouste Gulbenkian, sendo que é a primeira vez que a fundação trabalha com uma consultora. Soma-se ainda a entrada das insígnias Recheio e Amanhecer, Aruki, Siemens Healthneers, Confraria LX, Homelovers, Memmo Príncipe Real, Paypal e Pokerstars. Assegurou o lançamento do Gourmet Experience do El Corte Inglés e esteve a acompanhar a Regiconcerto de Tony Carreira.

Eventos e Activação
Desafio Global
No último ano a Desafio Global organizou 213 eventos para 83 clientes. Na lista encontram-se os eventos 10 Anos Delta Q, a convenção de rebranding Tranquilidade, Encontro de Quadros do Novo Banco, comemorações 30 anos BNP Paribas. Desenvolveu as activações da EDP, Fidelidade e Seat em festivais e eventos de música, press day das marcas Inditex, a festa de Natal da Teleperformance, os encontros anuais da Delta e da Prosegur, e ainda a Fábrica de Natal em Arganil do Pingo Doce e Recheio.

Niu
Organizadora do Wonderland e do Arena Portugal. Pelo Wonderland, no Parque Eduardo VII, passaram 700 mil pessoas e contou com patrocínios da Santa Casa, Meo, Hawuei, Coca Cola, Super Bock. Já o Arena Portugal, no Terreiro do Paço, teve meio milhão de pessoas a assistir aos jogos do Mundial, num espaço que contava com a presença dos patrocinadores Meo, Continente, Jogos Santa Casa, Turismo de Portugal e Sagres. A empresa esteve ligada a cerca de 200 eventos. Activou ainda o Continente no Rock in Rio e a Sagres no NOS Alive.

Canal Generalista
RTP1
O Festival Eurovisão da Canção, que teve pela primeira vez lugar em Portugal, foi o ponto alto da RTP este ano. Além de uma emissão conduzida por Daniela Ruah, Catarina Furtado, Filomena Cautela e Sílvia Alberto que granjeou rasgados elogios às apresentadoras da estação pública, o evento que decorreu na Altice Arena e chegou a uma audiência de 186 milhões de pessoas em 42 países garantiu reconhecimento internacional à RTP, distinguida pela União Europeia de Radiodifusão (EBU) por ter garantido a melhor organização de sempre na produção do Festival da Eurovisão. Na área da ficção e entretenimento mantém a aposta consistente em séries de produção nacional como Amnésia, Madre Paula ou 1986, de Nuno Markl, além de documentários como 2077 – 10 Segundos para o Futuro. Entre Julho do ano passado e Julho de 2018 registou um share de audiência de 12,1 por cento.

SIC
Com um share de 16,8 por cento (entre Julho de 2017 e Julho de 2018), é a segunda estação generalista em audiências. Tem vindo a ganhar fôlego na área da ficção, com novelas como Espelho D’Água, Paixão ou Vidas Opostas, produzidas pela SP Televisão, a garantirem um bom desempenho nos rankings de audiências num território que durante anos foi sinónimo de TVI. Produções que têm também alcançado reconhecimento internacional: Paixão recebeu bronze na categoria de Telenovela na 7.ª edição do New York Festivals International TV & Film Awards. A aposta nas novas plataformas de consumo de televisão traduz-se no facto de a SIC ser a única estação portuguesa com formatos presentes no Netflix.

TVI
Aquele que seria o negócio do ano no sector dos media acabou por não avançar mas os 440 milhões de euros que a Altice estava disposta a pagar pela Media Capital tinham na TVI o principal motivo. A estação de Queluz é líder destacada entre os canais generalistas, com um share de audiência de 20,5 por cento (Julho de 2017 a Julho de 2018), graças a uma grelha de programação onde se destacam as novelas produzidas pela Plural, produtora do grupo, presença assídua no top dos programas com maior audiência, além de formatos internacionais como Secret Story ou A Tua Cara Não Me é Estranha a liderar no entretenimento. Após o concerto A Única Mulher, organizado pela TVI, a estação dá agora seguimento a um modelo que se revelou bem sucedido e prepara-se para levar ao palco do Campo Pequeno um concerto que assinala o final da novela A Herdeira com a presença dos actores e com actuações de músicos como Aurea, Carolina Deslandes, D.A.M.A., David Carreira, Miguel Gameiro, Paulo Gonzo ou Matias Damásio.

Canal de Informação
CMTV
É não só o líder de audiências entre os canais de informação mas também o canal com maior audiência em todo o universo de canais Pay TV. Após ter conquistado a liderança em 2017 com um share de 2,4 por cento, a aposta numa programação de pendor generalista manteve-se e essa posição surge agora ainda mais reforçada, com o canal do grupo Cofina a registar um share de audiência de 2,9 por cento entre os meses de Julho de 2017 e 2018.

RTP3
Com um share de apenas 0,8 por cento no cabo, o canal de informação da RTP andava arredado dos lugares cimeiros do ranking de audiências. Ganhou novo fôlego com a entrada na oferta da TDT, tendo duplicado a sua performance se consideradas as audiências de ambas as plataformas. Com 1,7 por cento, o terceiro canal da estação pública divide a terceira posição no segmento de informação com a TVI24.

SIC Notícias
Com um share de 1,9 por cento (Julho 2017-Julho 2018), o canal de informação de Carnaxide é o segundo canal de informação mais visto do cabo.

TVI24
O canal de informação da TVI registou um share de 1,7 por cento (Julho 2017-Julho 2018), ocupando a terceira posição no ranking dos canais de informação.

Canal de Entretenimento
AXN
O principal canal do universo AXN registou 1,1 por cento de share e mantém o seu lugar no top 10 dos canais mais vistos do cabo.

Globo
A estação brasileira consolidou a segundo posição entre os canais de entretenimento mais vistos do cabo ao subir para os 1,9 por cento de share no último ano. Um desempenho alcançado graças à emissão de novelas inéditas em Portugal como Cheias de Charme, Deus Salve o Rei ou Orgulho & Paixão, que dominam frequentemente o top de programas com maior audiência no cabo.

Hollywood
Com um share de 1,9 por cento (Julho 2017-Julho 2018), mantém o estatuto de canal de entretenimento mais visto no universo Pay TV em Portugal.

Fox
O canal de maior destaque do universo Fox aumentou o seu share para 1,6 por cento ao longo do último ano, aumentando a distância para o AXN e reforçando o estatuto de líder entre os canais de séries.

Canal Infantil
Cartoon Network
O canal infanto-juvenil da Turner Broadcasting System tem vindo a melhorar os resultados alcançados em Portugal. É o terceiro canal mais visto do segmento e, com o share de 1,2 por cento alcançado entre Julho de 2017 e Julho de 2018, conquistou o seu lugar no top 10 dos canais mais vistos do cabo. Nos meses mais recentes de Junho e Julho, alcançou shares de 1,4 e 1,7 por cento, respectivamente, que colocaram o canal no segundo lugar à frente do Panda.

Disney Channel
É o líder entre os canais dedicados aos mais novos e o segundo canal mais visto do universo Pay TV. Uma posição que o canal da Disney consolidou ao longo do último ano, com o share de audiência média entre Julho de 2017 e Julho de 2018 a fixar-se pela primeira vez na fasquia dos 2 por cento.

Panda
Com um share de 1,5 por cento, é o segundo canal mais visto do segmento. O Festival Panda continua a ser uma referência entre o público infantil.

Produtora de Televisão
Endemol Shine Group
A joint-venture que junta as produtoras Endemol e Shine tem sido responsável pela produção de vários formatos internacionais para o mercado português, trabalhando de forma consistente para os três canais generalistas da televisão nacional. Entre esses formatos estão os dois programas que têm liderado as audiências na área do entretenimento, Secret Story e A Tua Cara Não Me É Estranha, ambos com contributos importantes para a liderança da TVI. Na calha está uma nova temporada de Pesadelo na Cozinha, depois de a primeira temporada protagonizada pelo chef Ljubomir Stanisic ter sido um dos programas mais badalados da televisão nacional, liderando as audiências no prime time de domingo do primeiro ao último episódio.

Plural Entertainment
A Plural Entertainment é a maior produtora audiovisual em Portugal e uma das maiores na Península Ibérica, tendo sido um dos activos da Media Capital apontados como centrais nos planos que a Altice tinha para o grupo de media. Entre as produções emitidas ao longo do último ano, destaque para as novelas A Herdeira e Jogo Duplo, que têm ocupado com frequência o top de programas mais vistos da televisão portuguesa em alguns casos liderando mesmo em dia de transmissões de futebol. O sucesso alcançado pela novela A Herdeira levou a TVI a preparar a repetição da experiência realizada com A Única Mulher, também da Plural, com a novela a dar também origem a um concerto no Campo Pequeno com a presença dos actores e músicos. O genérico da novela conquistou ainda um ouro nos Prémios M&P Criatividade em Autopromoções.

SP Televisão
É a produtora responsável pela ficção da SIC, estação para a qual produziu três novelas em exibição durante o último ano: Espelho D’Água, Paixão e Vidas Opostas. Também durante o último ano decorreu a rodagem de Alma e Coração, que será a nova aposta do prime time da estação de Carnaxide a partir de Setembro. A novela Paixão valeu à produtora o reconhecimento internacional com um bronze na categoria de Telenovela na 7.ª edição do New York Festivals International TV & Film Awards, festival onde chegou também a finalista a novela Espelho D’Água. Já em Julho deste ano estreou na RTP a série Verão M, uma co-produção com o apoio da Câmara de Caminha e do Turismo Porto e Norte que junta a estação pública e as empresas Skydreams e Santa Rita Filmes, uma nova produtora nacional fundada pelo grupo SP.

Rádio
Comercial
Pela primeira vez uma estação superou a fasquia dos 18 por cento de Audiência Acumulada de Véspera. A performance alcançada pela Comercial na última vaga do Bareme Rádio no período em análise (Julho de 2017 a Julho de 2018), com o valor mais alto atingido por uma rádio em Portugal, veio reforçar a liderança da estação do grupo Media Capital Rádios (MCR), que reconquistou o estatuto de estação mais ouvida em Portugal no início deste ano depois de ter visto a RFM fechar 2017 na frente. A Comercial lidera agora há três vagas consecutivas.

RFM
É a segunda estação mais ouvida do país num dos meios em que a liderança tem sido mais disputada. Depois de ter fechado o ano de 2017 na liderança, foi novamente ultrapassada pela Comercial e chega ao final do período em análise com uma Audiência Acumulada de Véspera de 17,3 por cento, significativamente acima dos 16,2 por cento que registava há um ano.

Título Generalista
Correio da Manhã
É o jornal líder em circulação impressa paga e em audiências, quer no papel quer no digital. Vendeu em média 81.161 exemplares diários entre Janeiro e Abril, últimos dados conhecidos (APCT). A circulação digital paga é de 1.292 (vendas+assinaturas). Lidera também em audiências, com 11,3 por cento (dados Bareme Imprensa), e ocupava em Junho a primeira posição entre os generalistas no online com 18,7 milhões de visitas e um reach multiplataforma de 1,9 milhões de pessoas.

Diário de Notícias
É o quinto título em audiências, com 3,4 por cento. De Janeiro a Abril, últimos dados conhecidos, registou uma circulação impressa paga de 8.522 exemplares. A circulação digital paga é de 3.947. No digital, em Junho, surge na 3ª posição entre os generalistas em visitas, com 10,3 milhões, e na 4ª posição em reach, com 1,7 milhões de pessoas alcançadas. Em Julho descontinuou a edição diária em papel, passando a sair apenas ao domingo.

Expresso
É o terceiro generalista em audiências, com 4,9 por cento. De Janeiro a Abril, últimos dados conhecidos, registou uma circulação impressa paga de 61.763 exemplares. É o título líder em circulação digital paga, com 24.865, números que fazem do semanário da Imprensa o generalista português com maior circulação paga total: 86.628. Nas audiências digitais de Junho, ocupa a 4ª posição em visitas, com 8,6 milhões, e a 5ª em reach com 1,7 milhões.

Jornal de Notícias
É o segundo generalista em circulação impressa paga, audiências e visitas/reach. De Janeiro a Abril, últimos dados conhecidos, registou uma circulação impressa paga de 42.885 exemplares A circulação digital paga é de 6.417. É o segundo generalista em audiências, com 10 por cento, tendo sido o único dos títulos generalistas a registar crescimento quer face à última vaga (quando registava 9,6 por cento) quer face à vaga homóloga em 2017 (9,4 por cento). É o segundo generalista mais visitado no online, com 17,7 milhões de visitas, e o terceiro com maior reach: 1,8 milhões de pessoas (Junho).

Observador
Quatro anos depois de entrar no ar, o nativo digital reporta números de acesso ao site na ordem dos 5,4 milhões de visitantes únicos e a rondar os 13 milhões de visitas (dados de Abril), números que não são oficiais uma vez que o Observador deixou de ser auditado pelos rankings da Marktest. Certo é que o desempenho do projecto deu confiança para que o Observador avançasse no passado mês de Maio com um plano para monetizar os seus conteúdos através de uma paywall e de um programa de assinaturas, sendo o primeiro meio exclusivamente digital a cobrar pelos seus conteúdos em Portugal. Esta é mais uma das apostas recentes do site, que tem pautado o seu percurso por iniciativas inovadoras no sector dos media, com destaque ainda para as edições especiais de aniversário em papel e para os lançamentos recentes da MAGG, uma revista digital de lifestyle em parceria com a editora de Ricardo Martins Pereira (fundador da NiT), e do Co.lab, projecto de criação de conteúdos e estratégias para marcas em parceria com a agência digita Fullsix.

Público
É o quarto título em audiências, com 4,8 por cento, tendo encurtado a distância para o Expresso para apenas uma décima. De Janeiro a Abril, últimos dados conhecidos, registou uma circulação impressa paga de 17.265 exemplares. A circulação digital paga é de 13.761. No digital em Junho surge na 2ª posição entre os generalistas no que diz respeito ao reach multiplataforma, com 1,9 milhões de pessoas, ocupando a 5ª posição em visitas, com 8,4 milhões.

Newsmagazine
Sábado
Apresenta uma média de circulação impressa paga entre Janeiro e Abril de 38.442 exemplares, a par de 2.060 de circulação digital paga. O site obteve em Junho uma cobertura de 734 mil pessoas e de dois milhões de visitas, segundo o NetAudience de Junho. No Bareme Imprensa regista uma audiência de 2,9 por cento (primeira vaga de 2018).

Visão
Lidera no segmento das newsmagazines em circulação impressa paga, no digital e em termos de audiências. Na APCT regista uma circulação impressa paga de 40.315 exemplares, a que se junta uma circulação digital paga de 1.987. No NetAudience de Junho o site surge com uma cobertura de 919 mil pessoas e de 2,4 milhões de visitas. Lidera no Bareme Imprensa com 3,9 por cento (primeira vaga de 2018), quando na vaga homóloga de 2017 apresentava 4,7 por cento de audiência. Debaixo da marca Visão são ainda publicadas a Visão História, a Visão Júnior e a mais recente Visão Saúde.

Titulo de Informação Económica
Jornal de Negócios
O diário apresenta uma circulação impressa paga de 4.570 exemplares (Janeiro a Abril de 2018). A circulação digital paga é de 4.640 (vendas e assinaturas). O site do Negócios obteve um alcance de 1,1 milhão de pessoas em Junho, liderando o segmento, e de 4,2 milhões de visitas (NetAudience). Se na primeira vaga do Bareme Imprensa de 2017 apresentava uma audiência de 2,2 por cento no Bareme Imprensa, agora está nos 1,9 por cento.

O Jornal Económico
O site teve um alcance de 851 mil pessoas e de três milhões de visitas em Junho (NetAudience). No último ano trocou de posição com o Jornal de Negócios, passando a liderar o Bareme Imprensa com os actuais 2,1 por cento de audiência, depois de crescer duas décimas entre vagas homólogas. Já na APCT (primeiros quatro meses do ano) surge com uma circulação impressa paga por edição de 1.170 exemplares, a que se junta uma circulação digital paga de 1.911 (assinaturas e vendas). A marca Jornal Económico conta ainda com as extensões Jornal Económico Madeira e Económico Cabo Verde.

Título Feminino
Activa
É a revista feminina líder no digital com um alcance de 432 mil pessoas e de 1,5 milhões de visitas em Junho (NetAudience). A revista em papel surge no Bareme Imprensa com 1,9 por cento de audiência (primeira vaga do estudo em 2018). A revista tem uma circulação impressa paga de 23.527 exemplares (circulação digital paga de 398) – quinta posição na primeira vaga da APCT em 2018.

Cristina
É a líder destacada do segmento no Bareme Imprensa, com 3,9 por cento de audiência na primeira vaga de 2018. Na vaga anterior apresentava 2,8 por cento. A exposição mediática da apresentadora da TVI, a par da divulgação da publicação no Você na TV, terá contribuído para os resultados. Por edição apresenta uma circulação média paga de 37.967 exemplares (e 910 de circulação digital paga) – segundo posto nas femininas mensais. O site não é auditado pelo NetAudience.

Máxima
Ocupa a quarta posição no segmento das femininas do Bareme Imprensa (1,4 por cento de audiência), mas em termos de circulação impressa paga das revistas mensais situa-se na terceira posição (28.837 exemplares). É o titulo que apresenta a maior circulação digital paga: 1.041. O site regista um alcance de 151 mil pessoas e 240 mil visitas (dados de Junho).

Saber Viver
Situa-se no terceiro posto do Bareme Imprensa (1,7 por cento de audiência) e no quarto lugar da APCT, aqui com uma circulação impressa paga entre Janeiro e Abril de 2018 de 23.672 exemplares. O site não é auditado pelo NetAudience.

Título Masculino
GQ
Na mais recente vaga do Bareme Imprensa surge com 0,5 por cento de audiência. O site da GQ não é auditado pelo NetAudience nem pela APCT. Tem contribuído para dar fôlego a um segmento que muitos consideravam em vias de extinção na imprensa portuguesa.

Men’s Health
O título detido pelo Global Media Group é líder do segmento do Bareme Imprensa com 0,9 por cento. No NetAudience de Junho destaca-se, tendo o site um alcance de 257 mil pessoas e 481 mil visitas em Junho. Na APCT é a única publicação masculina auditada, surgindo com uma circulação média paga de 9.235 exemplares (Janeiro a Abril) e uma circulação digital paga de 375.

Título Desportivo
A Bola
Continua a ser o líder no Bareme Imprensa com 7,7 por cento, mesmo assim, em 2017, na primeira vaga do estudo estava mais distante da concorrência com uma audiência de 8,1 por cento. O jornal A Bola não é auditado pelo NetAudience nem pela APCT.

O Jogo
O jornal tem uma circulação impressa paga de 15.121 exemplares e uma circulação digital paga de 2.529. Apresenta uma audiência de 5,6 por cento (primeira vaga do Bareme Imprensa 2018). Em Junho, mês de Mundial, o site d’O Jogo registou um alcance de 934 mil pessoas e de 13,6 milhões de visitas (o quinto site com mais visitas do NetAudience).

Record
O NetAudience, que não audita A Bola, coloca-o como líder dos desportivos, com uma cobertura de 1,6 milhões de pessoas e de 25,9 milhões de visitas totais em Junho. Neste mês foi, aliás, o site com maior número de visitas do estudo, a seguir ao Sapo. A audiência está nos 7,4 por cento (manteve o valor entre a primeira vaga de 2017 e a de 2018 do Bareme Imprensa). A circulação impressa paga situa-se nos 30.454 exemplares e a circulação digital paga nos 2.002 (Janeiro a Abril de 2018).

Título de Automóveis
Motor 24
O site do Global Media Group teve em Junho um alcance de 315 mil pessoas e de 845 mil visitas (NetAudience), apresentando-se como líder em termos de audiência digital.

Turbo
Lidera o segmento automóvel no Bareme Imprensa com uma audiência de 1,7 por cento (primeira vaga do ano). O site da Turbo não é auditado pelo NetAudience. Na APCT surge com uma circulação média paga de 8.470 exemplares (Janeiro a Abril).

Título de Sociedade
Caras
Ocupa a co-liderança, com a Nova Gente, no segmento das revistas de sociedade do Bareme Imprensa, com 2,8 por cento de audiência. Há um ano a Caras, agora detida pela Trust in News, situava-se no segundo posto. Em termos de circulação impressa paga regista 27.138 exemplares e 240 de circulação digital paga. O site da Caras surge com uma cobertura de 478 mil pessoas e de 2,9 milhões de visitas em Junho (NetAudience).

Flash
No segmento lidera no digital, com uma cobertura de 833 mil pessoas e de 3,2 milhões de visitas ao site em Junho (NetAudience). Desde Janeiro de 2017 que o título está apenas no digital, após 13 anos de revista em papel.

Nova Gente
Lidera em termos de circulação impressa paga com 58.788 exemplares (e 21 de circulação digital paga). De acordo com o Bareme Imprensa está empatada com a Caras, com 2,8 por cento de audiência na primeira vaga de 2018, quando há um ano a Nova Gente apresentava na vaga homóloga 3,5 por cento de audiência. Já no online, o NetAudience de Junho o site surge com um alcance de 242 mil pessoas e um milhão de visitas.

Título de Televisão
TV7 Dias
É líder destacada em termos de circulação impressa paga e de audiência entre as revistas de televisão. A TV7 Dias apresenta uma circulação impressa paga de 73.703 exemplares (circulação digital paga de 23). Está à frente no segmento das revistas de televisão no Bareme Imprensa (3,3 por cento na primeira vaga deste ano). Já no NetAudience o site aparece em Junho com 100 mil pessoas alcançadas e 439 mil visitas.

TV Guia
Ocupa o segundo posto tanto em circulação como em audiências. No APCT surge com 38.611 exemplares de circulação impressa paga (Janeiro a Abril de 2018) e uma circulação digital (assinatura e vendas) de 956. No Bareme Imprensa tem mantido nas três mais recentes vagas uma audiência estável: 2,1 por cento. Não tem site.

Personalidade de Media
Gonçalo Reis e Nuno Artur Silva
De Fevereiro de 2015 até Maio deste ano, Gonçalo Reis e Nuno Artur Silva, o primeiro como presidente e o segundo como administrador com o pelouro dos conteúdos, lideraram os destinos da RTP. A reestruturação das antenas de rádio e televisão – afirmando-se a RTP como uma alternativa aos privados -, a aposta na produção independente, em novos formatos, inclusive para o digital, ou a RTP Arquivos (que torna acessível a todos os arquivos da RTP) são alguns dos pontos altos deste período, que culminou com a organização do Festival Eurovisão da Canção, distinguido pela União Europeia de Radiodifusão (EBU) como o melhor de sempre. Nuno Artur Silva não foi reconduzido pelo CGI, mantendo-se Gonçalo Reis como presidente da RTP.

Luís Delgado (Trust in News)
Em Agosto de 2017 soube-se que a Impresa pretendia alienar todos os seus títulos de imprensa, com excepção do Expresso. Depois de goradas as negociações com outros potenciais interessados, soube-se em Novembro que Luís Delgado, fundador da Time Out Portugal e do Time Out Market – conceito entretanto exportado – se perfilava como o novo proprietário das revistas do grupo. O negócio concretizou-se no dia 2 de Janeiro, data em que entrou em funções a Trust in News. Durante os meses que se seguiram a editora tem vindo a reafirmar a sua confiança no print, tendo inclusive lançado três novas marcas: Visão Saúde, Prima e This is Portugal.

Octávio Ribeiro (Cofina)
É a única marca de media que domina em todas as frentes: print, digital e televisão. Líder entre os títulos de informação generalista, tanto em circulação paga como em audiências, o Correio da Manhã lidera também no digital (em reach, visitantes e páginas vistas), tendo alcançado também uma liderança confortável entre os canais de televisão. À frente do título está, desde 2007, Octávio Ribeiro, que em 2017 passou também a director editorial da Cofina.

Personalidade de Marketing
Joana Garoupa (Galp)
Depois de nove anos na comunicação e marketing da Siemens, em Outubro de 2017, Joana Garoupa integrou a Galp para assumir a direcção de comunicação e marca, uma área criada para promover um modelo integrado de marketing e comunicação em todas as geografias em que a Galp actua. Nos últimos meses tem ocorrido uma revolução silenciosa, com a contratação de novos responsáveis pela comunicação e redes sociais, a par de uma aposta na digitalização da comunicação. A campanha da Galp de associação ao Mundial foi muito elogiada.

Lídia Monteiro (Turismo de Portugal)
À frente de uma equipa composta por 33 pessoas, gere um dos maiores orçamentos de marketing do país (50 milhões de euros) com impacto directo na economia do país e no ecossistema das agências criativas, de meios e produtoras. Além dos resultados na captação de turistas e de visibilidade do país, o trabalho promovido por Lídia Monteiro tem sido um referente em termos de criatividade. Basta pensar no recente Can’t Skip Us, que foi Grande Prémio no Clube de Criativos e nos Prémios Criatividade M&P ou na onda gigante em Times Square a promover Portugal como destino de surf.

Personalidade Publicidade
Edson Athayde (FCB)
O CEO e chief creative officer, juntamente com Vera Barros (directora financeira), comprou a FCB Lisboa, sexta agência de publicidade do ranking MediaMonitor em 2017. Desta forma o grupo Interpublic deixou de deter qualquer agência criativa em Portugal. O percurso de Edson Athayde cruzou-se várias vezes com o da FCB. Em 1998 Edson Athayde tornou-se presidente da FCB – Foote, Cone & Belding Portugal, tendo criado a Edson Comunicação, que depois viria a fundir-se, dando origem à Edson FCB. Esta operação de MBO ocorre pouco mais de três anos de Edson Athayde regressar à FCB Lisboa, para dirigir a criatividade. Tem agora como missão continuar a manter o escritório de Lisboa como um referente perante as restantes FCB do mundo.

Miguel Barros (Havas Creative)
Fundou e dirigiu a Fuel, agência que oscila entre a segunda e terceira posições do ranking MediaMonitor. Em Março assumiu a presidência do Havas Creative em Portugal, cargo que não existia, passando a ter sob sua liderança as agências criativas Fuel e Havas (líder do ranking MediaMonitor). É agora responsável pela gestão do portfólio de marcas do grupo, estratégias de desenvolvimento na operação com clientes, gestão de talento, sinergias e estratégias de crescimento. Desde 2012 que é presidente da Associação Portuguesa das Agências de Publicidade, Comunicação e Marketing (APAP).

Marca do Ano
Continente
O Continente continua a ser líder destacado no tracking genérico de recordação publicitária, tanto no total do ano de 2017, como no período acumulado de Janeiro a Julho de 2018. Este ano, das 30 semanas já decorridas apenas não liderou este ranking em três semanas. Em 2017 e no primeiro semestre deste ano foi o sexto maior anunciante, segundo o MediaMonitor. Tem sido um parceiro fundamental de apoio à selecção nacional, nomeadamente na venda de bilhetes dos jogos. Com frequência lança ferramentas que aproximam os consumidores da experiência de compra digital. Meio milhão de pessoas passaram pelo Festival da Comida Continente no Porto, sinal de adesão dos consumidores ao evento.

Delta
A Delta é a empresa com melhor reputação em Portugal, segundo as conclusões do estudo anual da OnStrategy e da Corporate Excellence. É a primeira vez que uma marca nacional atinge o topo deste ranking que existe há 10 anos. Desta forma, a estratégia da Delta na área da responsabilidade social e o compromisso com a comunidade são reconhecidos pelos consumidores. Além disso, pela primeira vez a Delta Q foi patrocinadora do NOS Alive. Foi ainda bebida oficial do festival Eurovisão, evento que se revelou um sucesso, tanto na Altice Arena, como no Terreiro do Paço.

Turismo de Portugal
É uma entidade pública que tem sido referência na criatividade nacional e internacional, com resultados bem visíveis. No último ano, as receitas geradas pelo sector do turismo superaram pela primeira vez a fasquia dos 15 mil milhões de euros, representando um aumento de 19,5 por cento face a 2016. O número de hóspedes ultrapassou também pela primeira vez os 20 milhões. O Turismo de Portugal avançou ainda com uma campanha especial para promover o Centro, para revitalizar uma zona afectada pelos incêndios.

Deixe aqui o seu comentário