Como vai funcionar o programa de startups da WPP Portugal. Grupo poderá investir “nas mais promissoras”

Por a 10 de Julho de 2018
Tim Solomon lidera o projecto da  WPP, que tem o apoio da Startup Lisboa

Tim Solomon lidera o projecto da  WPP, que tem o apoio da Startup Lisboa

A WPP, em parceria com a Startup Lisboa, está a lançar o WPP Booster, um programa de aceleração de startups da indústria da comunicação comercial. O objectivo é acolher três a seis startups durante seis meses. No final do processo, a WPP prevê a “eventual participação no capital das startups mais promissoras”, refere Tim Solomon, sem, no entanto, se comprometer com valores. “Depende do potencial das empresas, mas a WPP está disponível para fazer investimento. Se encontrarmos qualquer coisa que possa ser interessante para a WPP em Portugal e a nível internacional vamos tentar fazer o investimento”, destacou o ex-CEO da Ogilvy que está a liderar este projecto transversal a todas as agências e empresas do grupo de comunicação.
Nesta fase de candidaturas, a WPP procura projectos em três grandes áreas: criatividade (digital, redes sociais, activação e conteúdos), media e predictive analytics (estratégia ou visualização/ tratamento de dados) e tecnologia (marketing automation, realidade virtual ou inteligência artificial). Entre os candidatos, serão escolhidos entre 12 e 15 projectos que, a 24 de Setembro, apresentarão os projectos. Deste grupo de finalistas serão seleccionados entre três a seis startups que vão integrar, a partir de 15 de Outubro, o programa WPP Booster, que terá a duração de um semestre. Aí terão acesso ao espaço de co-working do edifício Garagem da WPP, onde estão instaladas as agências do grupo e onde trabalham 600 pessoas, terão acesso à network do grupo, há a possibilidade de se apresentarem a marcas e clientes do grupo e participação nas sessões de formação e workshops internos no âmbito da WPP Academy e das WPP Talks. No final do programa as startups farão a apresentação a decisores do grupo WPP e a potenciais investidores.
Tim Solomon destaca que é a primeira vez que o grupo, a nível mundial, desenvolve um programa com estas características. Até aqui houve apenas, noutras geografias, programas de aceleração de startups acompanhados por uma agência, mas que não tinham contactos com as restantes empresas do grupo.

Deixe aqui o seu comentário