Nomadismo digital: Saber lidar com o “não”, implica primeiro ouvir um “não”

Por a 17 de Julho de 2018

SofiaFaço parte da tal geração mimada, foi educada na ideia da “universidade é igual a trabalho certo”. Ainda na universidade percebi que não seria assim. Todavia, e como da teoria à prática vai um passo, na hora de viver/sentir isso, doeu.
Obviamente que saber ouvir um não é importante. A rejeição, assim como a frustração fazem parte da vida e é bom que estejamos preparados e acostumados a isso desde tenra idade.
Até porque não, a universidade não garante trabalho. Muito menos bem pago. E ainda menos um bom trabalho – seja pela realização profissional, seja pelas condições laborais.
Porém, pior do que o não, é, muitas vezes nem ouvir o “não”. Isto, acontece muito em Portugal. Não há resposta.
Portugal tem sérios problemas no campo laboral. E um dos mais inquietantes é a dificuldade em dizer “não”. E não falo apenas na hora de contratar. É para tudo! Desde dizer não a um orçamento ou uma parceria. Seja um “não, não estou interessado”, um “não, não gostei da ideia” ou “não, agora não tenho orçamento” ou quem sabe um “não, de momento não há como”. O que seja!
Proponho um pequeno exercício.
Pense na quantidade de anúncios de trabalho aos quais já respondeu.
Ou nas propostas profissionais que já apresentou.
Quantos e-mails ou telefonemas recebeu de volta? Quantos é que lhe disseram que não?
É assim tão difícil responder ou simplesmente ter um email automático a dizer: “Vamos analisar o seu email, se não respondermos no prazo de X tempo, é porque não nos interessa”?

Artigo de Sofia Macedo (Sofiamacedo.com). Sofia Macedo partilha, todos os meses, a sua experiência como nómada digital.

Deixe aqui o seu comentário