Impresa fecha direcção-geral de entretenimento de Daniel Oliveira

Por a 6 de Julho de 2018

daniel oliveiraNa sequência da nomeação de Daniel Oliveira para assumir o cargo de director-geral de entretenimento da Impresa, são agora conhecidos os nomes dos profissionais que completam a estrutura do grupo dono da SIC. Encabeçada pelo até aqui director da SIC Caras e sub-director de novos formatos da direcção de programas da SIC, a nova estrutura, que comporta os programas e os canais temáticos da estação de Carnaxide, bem como os produtos digitais na área do entretenimento, terá como director executivo Daniel Cruzeiro, até agora director criativo da SIC, enquanto Vanessa Fino Tierno ocupa a direcção de aquisição e gestão de formatos. Pedro Boucherie Mendes, até aqui director de canais temáticos, função que passa para as mãos de Daniel Oliveira a par da direcção de programas da SIC, assume o cargo de director de planeamento estratégico. A composição da direcção-geral de entretenimento fica completa com Aida Pinto, enquanto sub-directora de programação e gestão de antena, e Cristina Verdú, como sub-directora de produção.

De fora da nova estrutura de direcção ficam Luís Proença e Gabriela Sobral, que até aqui tinham sob sua alçada a direcção de programação. Contactada pelo M&P, fonte oficial da Impresa esclarece que Luís Proença manterá uma ligação ao grupo através de uma “colaboração para novos projectos e negócios com ligação à área editorial”. Já sobre o futuro de Gabriela Sobral, a mesma fonte limita-se a dizer que no momento oportuno será comunicado.

Ao nível dos canais temáticos, Vanessa Fino Tierno e Pedro Boucherie Mendes acumulam as funções na direcção-geral com a direcção dos canais SIC K e SIC Radical, respectivamente. Já Júlia Pinheiro, até aqui directora de gestão e desenvolvimento de conteúdos da SIC, é a nova directora dos canais SIC Mulher e SIC Caras. Pedro Amante desempenhará funções como editor executivo de conteúdos digitais.

Em comunicado, o grupo liderado por Francisco Pedro Balsemão, justifica a nova estrutura como forma de “agilizar os processos de decisão, promovendo a gestão integrada da oferta de entretenimento, fornecendo conteúdos audiovisuais relevantes e diversificados para todo o público que, por força da evolução tecnológica, se fragmentou nos seus padrões de consumo, desafiando o mercado, operadores incluídos, a readaptar-se às múltiplas formas e géneros de distribuição”.

Um comentário

  1. vulkon

    9 de Julho de 2018 at 16:25

    A primeira decisão da nova direcção foi um fiasco. Meteram o programa “Passadeira Vermelha” à noite na grelha de programação . A audiência do primeiro dia de exibição foi um fracasso total . Estive a ver as audiẽncias de Domingo e a SIC lá continua com 15% … uns 6 pontos abaixo da TVI que lidera com 21%.

    RTP1 – 8,4%

    RTP2 – 1,5%

    SIC – 15,3%

    TVI – 21,2%

    Total CABO – 39,6%

    Outros – 12,0%

Deixe aqui o seu comentário