Duas décadas nesta indústria são uma eternidade

Por a 16 de Abril de 2018
Manuela Botelho, secretária-geral da APAN

Manuela Botelho, secretária-geral da APAN

Só não começo este artigo com a conhecida frase publicitária “eu ainda sou do tempo…” porque tenho mais anos de profissão do que o M&P tem de vida. Mas o facto é que me lembro de me sentir acompanhada na minha jornada profissional por este jornal que simpaticamente me convidou para lhe dedicar umas palavras.
E retomo a frase com que comecei, para felicitar o M&P por ter sido capaz de manter vivo, informado e em permanente debate uma indústria e uma comunidade de profissionais que ao longo destes 20 anos tem enfrentado enormes desafios. E tem sabido fazê-lo acompanhando não só a forma como os seus leitores querem receber a informação que disponibilizam mas, acima de tudo, procurando saber aquilo que mais preocupa os vários actores desta indústria, mesmo quando os temas são tudo menos consensuais. E essa é uma mais-valia muito importante já que a informação existe espalhada por todos os lados e o seu acesso é muito fácil; o difícil é conseguir transformar informação em conhecimento, e conhecimento que alimente uma indústria que tem permanentemente que se reinventar.
A visão do meu lado é a visão dos marketers e deste lado o principal desafio com que sempre fomos confrontados foi o do crescimento e criação de valor. Criação de valor para os clientes, para os acionistas e para a sociedade. Qualquer que fosse o contexto em que estivéssemos.
E como bem nos lembramos, nestes últimos 10 anos se houve coisa que mudou foi o contexto. E mudou a vários níveis: a nível económico, em que os recursos se tornaram mais escassos tornando o conceito de accountability chave para qualquer marketer, e a sua vida mais complexa; a nível tecnológico a alterar a forma como as pessoas passaram a consumir e a se relacionarem com os media e com as marcas, o que forçosamente nos obrigou a alterar a forma como comunicamos; e a nível dos comportamentos de consumo que, por força do acesso permanente à informação também aumentou o seu nível de conhecimento, influência e exigência.
E porque um jornal como o M&P vai querer fazer parte do panorama nacional pelo menos mais 20 anos, aquilo que certamente faz sentido é lançarmos-lhe alguns desafios: o primeiro é aquele que é exigido a todos nós, manter-se relevante; o segundo é que continue a estimular os actores desta indústria desafiando cada uma das partes a fazer ouvir a sua voz de forma construtiva contribuindo para o sucesso de todos; e o terceiro é anunciar a transformação e a mudança como algo natural e da forma mais positiva para a indústria da comunicação.
Porque a verdade é que aquilo que enquanto marcas precisamos para ter sucesso ao longo dos anos é gerir de forma saudável esta difícil contradição de necessitarmos de uma profunda consistência e simultaneamente de uma enorme flexibilidade.

*Por Manuela Botelho, secretária-geral da APAN

O Meios&Publicidade faz 20 anos. A data é assinalada nesta edição, na qual – entre outros artigos – partilhamos reflexões sobre o presente e o futuro escritas por uma série de profissionais, que foram notícia em 1998 e/ou em 2008.

Deixe aqui o seu comentário