Alerta para o uso da marca Eurovisão

Por a 16 de Abril de 2018

unnamed (7)A Auto Regulação Publicitária emitiu uma nota em que aponta para as limitações ao uso da marca Eurovisão, a propósito da realização da final em Lisboa. A entidade alerta para os casos de marketing de emboscada ou ambush marketing, em que marcas não patrocinadoras ou não fornecedoras do evento procuram retirar benefícios comerciais, associando-se ao evento. “Esta prática é, em regra, concretizada através da utilização de marcas e/ou imagens e/ou logótipos associadas ao evento para a qual não existe a necessária autorização, que é concedida, apenas, aos respectivos parceiros comerciais (patrocinadores e fornecedores) pelo que, qualquer utilização fora deste contexto, será sempre potencialmente ilegítima e abusiva”, descreve a Auto Regulação Publicitária
Assim, apenas cinco marcas podem fazer uma associação directa com o Eurovision Song Contest em qualquer país. São elas Visit Portugal, Osram, The Native, Super Bock e Vueling. Podem associar-se à Eurovisão em território português a Delta Q, Altice e Hospital da Luz. Há ainda 11 marcas que vão poder associar-se ao evento apenas numa vertente B2B: Riedel, Kosta Boda, Chateau d’Ax, Europcar, Go Natural, YellowBus, Barraqueiro, Zin Vending, CP, Carris e Metro.As limitações aplicam-se tanto à marca Eurovisão como à iconografia All Aboard, desenvolvida para a edição do festival na capital portuguesa.

Deixe aqui o seu comentário