Quanto vale a nova BAR Ogilvy

Por a 10 de Janeiro de 2018

personalidadespubÉ a movimentação mais importante do mercado publicitário português dos últimos anos. A WPP comprou a maioria do capital da BAR, agência que irá fundir-se agora com a Ogilvy, dando origem à BAR Ogilvy.
Os três fundadores da BAR (José Bomtempo, Diogo Anahory e Miguel Ralha) assumem a gestão da BAR Ogilvy, passando a deter uma participação accionista da nova agência, Na fase de transição, Tim Solomon, até aqui líder da Ogilvy em Portugal, mantém a posição de chairman. Em Portugal o grupo WPP, que integra agências como a Y&R e a JWT ou o GroupM, emprega cerca de mil pessoas e gera receitas na ordem dos 50 milhões de euros.
“Estamos muito entusiasmados com este desafio. Acreditamos que a forma como trabalhamos combinada com as capacidades de uma das mais icónicas networks do mundo tornará a BAR Ogilvy num projecto relevante e único neste mercado”, afirma Miguel Ralha.
Criada em 2009, a BAR apresenta-se como “uma agência integrada com forte reputação criativa”, destaca uma nota da WPP. Sagres, Millennium BCP, CUF, Nowo, TAP e Nespresso estão entre os principais clientes da BAR. Em 2016, destaca a WPP, a BAR obteve uma facturação de 2,5 milhões de euros. Já do lado da Ogilvy constam no portólio da BP Portugal, Fundação EDP, GlaxoSmithKline, Iberdrola, Lactalis, Siemens e Pernord Ricard.
No ranking MediaMonitor mais recente (Janeiro a Novembro de 2017), a BAR situava-se na 18ª posição com uma presença publicitária nos meios, a preço de tabela, de 69 milhões de euros. A Ogilvy ocupava a nova posição com 189 milhões. Juntando as duas agências, a nova BAR Ogilvy ficaria na sétima posição, tendo à sua frente a Havas, Fuel, Y&R, Partners, JWT e FCB, e ultrapassava a Publicis e a TBWA.

Na foto:  Bomtempo, Anahory e Ralha, quando foram distinguidos como Personalidades de Publicidade do Ano nos Prémios M&P em 2011

Deixe aqui o seu comentário