Sete tendências por onde passa o futuro (e algum do presente) do ponto de venda

Por a 14 de Janeiro de 2018

POSO M&P tentou perceber junto dos profissionais do sector do ponto de venda quais as principais tendências no retalho nacional e internacional e nos novos conceitos de loja que estão a surgir e que serão já uma realidade no mercado em 2018. Resumimos, baralhámos, e deixamos algumas pistas para o que pode ser a realidade do retalho nos próximos anos.

1. O ano de 2018 acentuará o consolidar as estratégias omincanal dos retalhistas por forma a corresponder a uma lógica que integre uma experiência homogénea e em direcção ao omnicanal conectado (integração multicanal) no retalho, que permitirá aos consumidores pesquisar, encomendar, comprar, levantar e devolver produtos através de quaisquer touchpoints.

2. Buy-online-pickup-in-store. A compra online e o levantamento em loja será o novo normal já que os consumidores querem cada vez mais flexibilidade no que toca a opções de pagamento. Várias lojas implementam esta opção nos seus catálogos online, facilitando o processo de envolvimento do consumidor e as transacções na loja.

3. O papel dos dados na tomada de decisão no sector do retalho continuará a crescer, especialmente considerando que tecnologias como big data e machine learning continuam a evoluir.

4. A realidade aumentada, a inteligência artificial e os ecrãs digitais (tácteis e interactivos) são as técnicas mais usadas no momento e as que recebem o rótulo de “the next big thing” ao nível do customer experience

5. Peoplecentric view ou, trocando por miúdos, comunicação em ponto de venda com as pessoas no centro em vez do produto. Comunicação a pensar em pessoas que interagem com a marca e só depois compram produtos em vez da visão da pessoa como consumidor, conceito que vem da lógica da comunicação above e below-the-line.

6. As flagships stores passarão as ser as lojas standart. Porque todas as lojas terão de responder perante um comprador que procura uma experiência de comprar agradável, fácil e focada nas suas necessidades e desejos.

7. Consumidores que procuram experiências de compra mais imediatas e locais levarão, por outro lado, a um crescente surgimento de lojas de proximidade, seja através de canais físicos ou digitais.

Este tema é desenvolvido num especial dedicado ao sector do ponto de venda que poderá ler na edição impressa do M&P desta quinzena

Deixe aqui o seu comentário