Como é que os directores de empresas portuguesas consomem informação online

Por a 3 de Janeiro de 2018

image012 (1)A consultora Impacting Digital acaba de lançar o estudo “Hábitos de consumo de informação online de C-Levels em Portugal”, que tem por base 104 participantes.
São os jornais que lideram os meios digitais mais utilizados para o consumo de informação online, seguidos das redes sociais. Os C-Levels identificam ainda os sites especializados, o Google ou mesmo o YouTube como meios relevantes.
Apesar da maioria da informação consumida online ser gratuita, existe um consumo pago de meios que variam entre sites de economia (37,5%), jornais online (25%), comunicação e marketing (12,5%), música (12,5%) e desporto (12,5%). Entre os participantes, 24% afirma ainda pagar por conteúdos específicos, nomeadamente relacionados com economia (37,5%), jornais online (25%), comunicação e marketing (12,5%), música (12,5%) e desporto (12,5%).
image014Das catorze redes sociais com as quais estão mais familiarizados, o Facebook (47%), o Linkedin (28%) e o Instagram (11%) são as mais utilizadas como fontes de consumo de informação, sendo que os conteúdos mais procurados nestes meios digitais são notícias e entretenimento. Relativamente ao tempo que, em média, dedicam diariamente ao consumo de informação via redes sociais, metade dos inquiridos (50%) assume que o faz cerca de 30 minutos por dia. Apenas 4% refere que despende mais de duas horas diárias. As alturas do dia em que mais tempo passam nas redes sociais é à noite (30%) e de manhã (28%), apontando a tarde (13%) e a hora de jantar (13%) como as alturas em que menos acedem às redes sociais.
C-Levels é uma nomenclatura utilizada para classificar os cargos “Chief Officers” das empresas, como por exemplo CEO (Chief Executive Officer), CIO (Chief Information Officer), CFO (Chief Financial Officer), CMO (Chief Marketing Officer) ou CTO (Chief Technology Officer).

Estudo completo Hábitos de Consumo de Informação Online de C-Levels

Deixe aqui o seu comentário