Paywall da Global Media e plataforma para meios locais da Impresa em nova ronda de financiamento do Google

Por a 13 de Dezembro de 2017

pasted image 0Os projectos apresentados pela Impresa e pelo Global Media Group concentram a grande maioria dos cerca de 1,07 milhões de euros agora atribuídos pelo Google a projectos de jornalismo digital portugueses naquela que é a quarta ronda de financiamento do fundo Digital News Initiative. Os dois grupos de media totalizam um financiamento de cerca de 970 mil euros, com a dona da SIC e do Expresso a receber um apoio de 658.462 euros para o desenvolvimento de uma plataforma dedicada à monetização de conteúdos em meios de comunicação locais e regionais, enquanto o grupo que detém títulos como o Diário de Notícias ou Jornal de Notícias terá um financiamento de 312 mil euros para um projecto que liga a plataforma de registo único das marcas do grupo a uma paywall.

Para esta quarta ronda, a empresa norte-americana desafiou os grupos de media a que todos os projectos apresentados nas categorias de média e grande dimensão se focasse na monetização. É o caso dos dois projectos de grupos de media nacionais que agora serão financiados pelo Google. No caso da Impresa, o apoio recai sobre a Go Digital Publishing Platform, uma plataforma que “visa permitir aos media locais e regionais o acesso a uma solução de topo para monetizarem os seus conteúdos digitais” como forma de combater os constrangimentos enfrentados no digital pelos pequenos publishers motivados por “um investimento reduzido em tecnologia e talento técnico”.

Já o Global Media Group beneficiará do financiamento do Google para o desenvolvimento da Smart Paywall, um projecto que “vai combinar a plataforma de registo único da Global Notícias com dados segmentados e uma nova paywall para vender os seus conteúdos de forma mais eficiente”. “Adicionalmente, as redacções da Global terão condições para inovar pacotes, formatos e distribuição digitais, bem como ideias de conteúdos ou diferentes abordagens, como nunca antes, com informação analítica chave que será disponibilizada por este projecto”, explica-se. Nas palavras de José Carlos Lourenço, COO do grupo, “este projecto enquadra-se nos planos que definimos para 2018 de aprofundar a monetização dos conteúdos de excelência das nossas marcas, e iremos fazê-lo de forma inovadora e suportados em tecnologia adequada”. “Em tempo oportuno partilharemos mais sobre como o iremos fazer, mas estamos convencidos de que iremos contribuir para o aparecimento de novos segmentos de receita no mercado português ligados à venda de conteúdos, que coexistirão com a actual solução de assinaturas digitais”, antecipa o responsável”.

O remanescente do montante atribuído a projectos portugueses nesta ronda de investimento vai para um protótipo académico de inteligência artificial do INESC TEC (49.804 euros), que “recorre à IA para ajudar a detectar e a recorrer o discurso ao ódio nos média online”, e para um protótipo de news feed inteligente desenvolvido pela startup OKO (49 mil euros), que “visa assistir jornalistas e redacções no processo de descoberta de notícias e de gatekeeping”. Desde a primeira ronda de investimento, o fundo DNI do Google atribuiu a projectos nacionais um total de 5,77 milhões de euros.

Deixe aqui o seu comentário