Lift garante que colaboração com Raríssimas foi “pro-bono e que se extinguiu nesse momento”

Por a 12 de Dezembro de 2017

Salvador da CunhaA Lift esclareceu esta segunda-feira num post publicado no Facebook que a colaboração com a Associação Raríssimas era pontualmente e “em regime de pro bono”. “A Lift apoiou a associação num pedido de entrevista solicitado pela TVI. Foi, mais uma vez um trabalho pontual, pro-bono, que se extinguiu nesse momento. A Lift não tem nem nunca teve um mandato de representação da Raríssimas”, apontou a agência num posto onde detalhou que tem colaborado com várias associações de carácter social em regime de pro-bono, umas de forma pontual, outras de forma permanente.
Recorde-se que a reportagem da TVI, da autoria de Ana Leal, emitida este sábado revelava vários indícios de irregularidades na gestão de Paula Brito e Costa à frente da Raríssimas. Já na parte final da reportagem surgem imagens de um encontro entre a jornalista da TVI, a presidente da associação e Salvador da Cunha. Aí o CEO da Lift questiona Ana Leal em relação às perguntas que seriam colocadas à presidente da Raríssimas. A tensão entre as partes é patente, com a jornalista a ser pressionada para revelar todas as questões que pretendia fazer. Já no final da reportagem surgem imagens de Salvador da Cunha a dizer “pulha”, uma palavra que parece ser dirigida a Ana Leal.
No Twitter, este domingo, Salvador da Cunha defendeu-se: “A TVI faz emboscada, tem a faca e o queijo na mão e faz o frete de uma parte numa guerra de poder. Difícil de contraditar… vou dormir”.

Deixe aqui o seu comentário